Steve Bannon é preso por fraude nos Estados Unidos; Em 2016, ele foi estrategista da campanha do presidente Donald Trump

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Stephen Kevin Bannon (Steve Steve), assessor político estadunidense que serviu como assistente do presidente e estrategista-chefe da Casa Branca no Governo Trump.
Stephen Kevin Bannon (Steve Steve), assessor político estadunidense que serviu como assistente do presidente e estrategista-chefe da Casa Branca no Governo Trump. Ex-estrategista de Trump é acusado de fraudar campanha arrecadação de fundos para a construção de muro na fronteira com o México. Esquema teria levantado mais de 25 milhões de dólares em doações.

Stephen Kevin Bannon (Steve Steve), o ex-estrategista-chefe do presidente americano, Donald Trump, foi preso nesta quinta-feira (20/08/2020) nos Estados Unidos. Ele é acusado de conspiração para cometer fraude numa campanha de financiamento coletivo para a arrecadação de fundos para apoiar a construção do muro na fronteira com o México, segundo informou o Departamento de Justiça dos EUA.

Além de Bannon, outros três acusados também foram detidos. De acordo com a Promotoria Federal americana, eles teriam “orquestrado um esquema para fraudar centenas de milhares de doadores”.

Iniciada em 2018, a campanha chamada “Nós construiremos o muro” arrecadou mais de 25 milhões de dólares (cerca de 141 milhões de reais).

Segundo os promotores, Bannon prometeu usar todo o valor arrecadado na obra, mas o dinheiro foi usado, entre outros, para financiar despesas pessoais e o luxuoso estilo de vida de Brian Kolfage, descrito como o rosto público e fundador da campanha.

Os promotores afirmam que o grupo falsificou notas e acordo com fornecedores fictícios para esconder o que realmente estava acontecendo. Os quatros também foram acusados de conspiração para lavar dinheiro.

Bannon, uma figura proeminente da extrema direita americana, foi assessor de campanha de Trump, que fez da construção do muro na fronteira com o México uma de suas principais promessas na corrida eleitoral de 2016.

O americano é considerado um dos maiores ícones da extrema direita e esteve à frente do portal Breitbart News, que ajudou a propagar a nova ultradireita dos Estados Unidos.

Trump nomeou Bannon como seu estrategista-chefe logo após assumir a Presidência. Ele permaneceu no cargo durante apenas sete meses. No governo, ele defendia que Trump deveria manter o discurso populista que o levara ao poder e o encorajou, entre outras coisas, a emitir o polêmico veto migratório contra os refugiados e os imigrantes de determinados países muçulmanos, bem como a retirar os Estados Unidos do Acordo de Paris sobre o clima.

Em 2018, Bannon se aproximou da família Bolsonaro. Em agosto daquele ano, ele se reuniu com Eduardo Bolsonaro em Nova York. Na ocasião, o deputado federal relatou que Bannon era um entusiasta de seu pai e que ambos manteriam contato “para somar forças, principalmente contra o marxismo cultural”. Em outubro, o extremista de direita declarou apoio ao então candidato Jair Bolsonaro.

Presidente Donald Trump lamenta prisão de ex-assessor Steve Bannon: “triste acontecimento”

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quinta-feira que se sente “muito mal” com a prisão de seu ex-assessor Steve Bannon, mas afirmou que não sabe nada sobre a organização de arrecadação de recursos envolvida no caso investigado por procuradores federais.

“Realmente acho que é um triste acontecimento”, disse Trump a repórteres no Salão Oval da Casa Branca. “Não trato com ele há anos, literalmente anos”.

Bannon, um arquiteto do populismo nacionalista que definiu a presidência de Trump, foi acusado de fraudar apoiadores de Trump com uma campanha para ajudar a construir um muro na fronteira com o México.

“Eu me sinto muito mal. Não trato com ele há muito tempo”, disse Trump.

Bannon é uma das quatro pessoas presas nesta quinta-feira e acusadas de conspirarem para cometer fraude eletrônica e conspirarem para praticar lavagem de dinheiro, em um indiciamento a cargo de procuradores federais de Manhattan.

Os procuradores acusaram os acusados de fraudar centenas de milhares de doadores por meio de uma campanha de financiamento coletivo de 25 milhões de dólares chamada “We Build the Wall”, disse o Departamento de Justiça. Cada um deles pode pegar até 40 anos de prisão.

“Não sei nada sobre o projeto, só sei que não gostei quando li a respeito dele, não gostei. Eu disse ‘isto é para o governo, não é para particulares’, e me pareceu pura exibição”, disse Trump.

O presidente também disse a repórteres que não conhece os três que foram acusados com Bannon, e que não acredita ter se encontrado com eles nunca.

*Com informações de Jeff Mason e Tim Ahmann,da Agência Reuters e do Deutsche Welle.

Stephen Kevin Bannon (Steve Steve) atuou como arquiteto do populismo nacionalista que definiu a presidência de Trump, foi acusado de fraudar apoiadores de Trump com uma campanha para ajudar a construir um muro na fronteira com o México.
Stephen Kevin Bannon (Steve Steve) atuou como arquiteto do populismo nacionalista que definiu a presidência de Trump, foi acusado de fraudar apoiadores de Trump com uma campanha para ajudar a construir um muro na fronteira com o México.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113855 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]