Feira de Santana: Mulher feirense não tem prioridade em cirurgia eletiva pelo Governo da Bahia, diz Vereadora

Eremita Mota: vocês sabem quantas mulheres nós temos em Feira de Santana hoje, necessitando fazer uma cirurgia? Essa é a pergunta. Ninguém sabe, ninguém viu.
Eremita Mota: vocês sabem quantas mulheres nós temos em Feira de Santana hoje, necessitando fazer uma cirurgia? Essa é a pergunta. Ninguém sabe, ninguém viu.

As mulheres residentes no município de Feira de Santana não têm prioridade, por parte do Governo do Estado, para fazer cirurgias eletivas (sem caráter de urgência, agendadas e atendidas em nível ambulatorial). A reclamação é da vereadora Neinha (DEM), que falou sobre o assunto esta segunda-feira (24/08/2020) na Câmara. “Eu tenho certeza que as mulheres de Feira de Santana, lavradoras, da roça, estão sofrendo com isso. Onde elas estão fazendo cirurgias de hérnia, mioma, histerectomia, vesícula?” questiona a vereadora, que é assistente social por formação.

Segundo Neinha, existe uma “fila única para cirurgias eletivas em Salvador”, mas o mesmo não ocorre no município feirense. “Vocês sabem quantas mulheres nós temos em Feira de Santana hoje, necessitando fazer uma cirurgia? Essa é a pergunta. Ninguém sabe, ninguém viu”. Ela diz que não basta fazer movimento contra violência à mulher (referindo-se a campanha lançada pela Secretaria Estadual de Políticas para as Mulheres).

“A falta de atendimento médico também é uma violência. Quando uma mulher pena sem realizar uma histerectomia ou de retirada de um mioma, por exemplo, é uma violência”. O Governo do Estado, critica a vereadora,  “precisa entender que Feira de Santana não é um puleiro, não é uma cidade de 8 mil habitantes; é a segunda maior da Bahia e as mulheres feirenses clamam por atendimento, porque ficam sem resposta, na fila, sangrando, sem saber onde, quando e como será realizada a cirurgia”.

Apelo ao prefeito

Ela também apelou ao prefeito Colbert Martins Filho. “Quero pedir ao nosso prefeito que, pelo amor de Deus, nos ajude. Precisamos disso para ontem. Se uma mulher, hoje, precisar de uma cirurgia de varizes, por exemplo, o Clériston Andrade faz? Quero saber.  Vamos nessa mulher, lutar por um direito que é nosso”.

Comissão deve ir ao HGCA

A Comissão de Saúde da Câmara Municipal deve  ir até o diretor do Hospital Geral Clériston Andrade “para saber como anda a realização de cirurgias eletivas no município”, sugere o vereador Lulinha (DEM). Segundo ele, o HGCA era o responsável “mas todas (as cirurgias) foram canceladas, as pessoas perderam (a validade) dos exames que já fizeram e precisam fazer tudo de novo”.

Hospital da mulher

A edil Gerusa Sampaio (DEM) também pediu um aparte. Cerca de R$ 80 mil estavam destinados para a compra de aparelho a ser instalado no Hospital Inácia Pinto dos Santos (Hospital da Mulher) para realização de histerectomia, informa a vereadora Gerusa Sampaio. No entanto, por conta da Covid-19, as verbas foram utilizadas para outros fins. Ela garante que o Hospital da Mulher, pertencente à Prefeitura, está se organizando “para ofertar esse serviço em breve, porque não é justo que as mulheres se desloquem daqui para Salvador em busca desse atendimento”.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 110032 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]