Secretário municipal Edson Borges comenta sobre a Lei Aldir Blanc e o Auxílio Emergencial ao Trabalhador do segmento da cultural de Feira de Santana; Confira transmissão ao vivo

Cartaz anuncia entrevista coletiva remota com secretário municipal Edson Borges, sobre a aplicação da Lei Aldir Blanc.Cartaz anuncia entrevista coletiva remota com secretário municipal Edson Borges, sobre a aplicação da Lei Aldir Blanc.

O secretário municipal da Cultura, Esporte e Lazer de Feira de Santana, Edson Borges, concede entrevista coletiva remota às 9 horas, desta sexta-feira (03/07/2020), sobre a Lei Aldir Blanc (Lei Federal nº 14.017/2020) e o Auxílio Emergencial ao Trabalhador do segmento da cultural de Feira de Santana, que prevê o pagamento de um de recursos financeiros para os profissionais das artes.

Objetivando contribuir com o debate, Carlos Augusto, editor do Jornal Grande Bahia, questiona:

  1. A Lei Federal nº 14.017/2020 previu o repasse de R$ 3 bilhões da União para estados e municípios aplicarem no apoio ao setor da cultura. De acordo com a Lei Aldir Blanc, qual a previsão orçamentária para Feira de Santana? Quanto a Lei destinou para aplicação no setor da Cultura de Feira de Santana?
  2. A Lei Aldir Blanc permite o repasse do Auxílio Emergencial ao Trabalhador da cultura no valor de R$ 600 e permite, também, a promoção de editais e prêmios, além de investimento na manutenção de espaços artístico-culturais. A Secretaria da Cultura elaborou uma politica pública para utilização dos recursos financeiros objetivando estas finalidades? Se o fez, pode apresentar uma síntese?
  3. Além do setor da música, as artes plásticas, visuais e a literatura são setores que compõem a cultura. Neste contexto, qual o total de profissionais, por segmento, envolvidos com a cultura de Feira de Santana que podem ser beneficiados pela Lei Aldir Blanc?

Confira vídeo

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).