Rússia busca parceria para produzir vacina contra covid-19 no Brasil

Os russos estão em discussões com laboratórios farmacêuticos brasileiros para um acordo de produção local da vacina contra a Covid-19.
Os russos estão em discussões com laboratórios farmacêuticos brasileiros para um acordo de produção local da vacina contra a Covid-19.

A Rússia está em discussões com laboratórios farmacêuticos no Brasil para um acordo de produção local da vacina russa contra a Covid-19, pandemia que contaminou 2,4 milhões de pessoas e causou 86 mil mortes no país. O plano é de produzir no Brasil para atender o mercado doméstico e exportar para o resto da América Latina.

Desenvolvimento

O Instituto Gamaleya, uma instituição estatal de pesquisa de Moscou, finalizou os primeiros testes de uma vacina baseada em adenovírus em humanos no início deste mês e acredita que iniciará testes de larga escala em agosto.

A vacina receberá aprovação regulatória das autoridades russas durante a realização do teste de larga escala, disse a fonte, mostrando a determinação da Rússia de ser o primeiro país do mundo a aprovar uma vacina contra a Covid-19.

A velocidade com que o país está se mobilizando para apresentar uma vacina levou parte da mídia ocidental a questionar se Moscou está colocando o prestígio nacional acima dos indícios científicos confiáveis e da segurança.

“A aprovação (regulatória) virá nas primeiras duas semanas de agosto”, disse a fonte de desenvolvimento. “10 de agosto é a data esperada, mas com certeza será antes de 15 de agosto. Todos os resultados (do teste) são altamente positivos até agora.”

A fonte acrescentou que os profissionais de saúde russos que tratam pacientes de Covid-19 terão a chance de se oferecer para receberem a aplicação antes de a vacina conquistar a aprovação regulatória.

Separadamente, a agência de notícias russa Interfax citou “uma fonte informada” segundo a qual a vacina será registrada entre 10 e 12 de agosto e administrada a partir de 15 de agosto.

O serviço de imprensa do Fundo de Investimento Direto da Rússia (RDIF), que está coordenando e financiando os esforços russos de desenvolvimento de vacinas, não quis comentar, mas seu chefe, Kirill Dmitriev, negou que a iniciativa está comprometendo a segurança.

“O Ministério da Saúde da Rússia está seguindo todos os procedimentos rígidos necessários. Não está se tomando nenhum atalho”, disse Dmitriev na terça-feira.

Ele comparou o que disse ser o sucesso do país no desenvolvimento de uma vacina ao lançamento soviético do Sputnik 1, o primeiro satélite do mundo, em 1957.

O Centro Nacional de Segurança Cibernética do Reino Unido disse neste mês que hackers apoiados pelo Estado russo estavam tentando roubar pesquisas sobre vacinas e tratamentos de Covid-19 de instituições acadêmicas e farmacêuticas de todo o mundo —alegação que Moscou negou.

Mais de 100 possíveis vacinas estão sendo desenvolvidas em todo o mundo para tentar deter a pandemia de coronavírus. Ao menos quatro estão na Fase 3 de testes em humanos, a última antes do registro, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) —três na China e outra no Reino Unido.

*Com informações da Agência Reuters.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 112838 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]