Presidente Donald Trump ordenam fechamento de consulado chinês nos EUA, e presidente Xí Jìnpíng ameaça retaliar

Presidente Donald Trump.Decisão de fechamento da representação diplomática da China, em Houston, no Texas, visa proteger propriedade intelectual, justifica Governo Trump. Governo de Xí Jìnpíng classifica medida de "escalada sem precedentes nas recentes ações contra a China".

O Departamento de Estado dos Estados Unidos confirmou nesta quarta-feira (22/07/2020) que ordenou o fechamento do consulado chinês de Houston, no Texas, uma decisão que foi fortemente criticada pelo governo da China.

A ordem de Washington foi dada em meio a tensões políticas e econômicas que se arrastam há alguns meses entre as duas maiores potências econômicas do planeta. O governo da China ameaçou retaliar.

Segundo o Departamento de Estado, o fechamento do consulado da China em Houston visa proteger a propriedade intelectual americana e a informação privada dos cidadãos locais. Mas o governo americano não esclareceu por que agiu contra a unidade em Houston.

“Os diplomatas devem respeitar as leis e as normas do Estado receptor e têm o dever de não interferir nos assuntos internos desse Estado”, afirmou o porta-voz do Departamento de Estado, Morgan Ortagus, em entrevista à emissora americana CNBC.

O Departamento de Estado garantiu ainda que os EUA não tolerariam violações da China à soberania americana, além da intimidação da população. “Do mesmo modo, que não toleramos as práticas comerciais injustas desse país, o roubo de empregos americanos e outros comportamentos atrozes”, apontou Ortagus.

Um funcionário do governo americano afirmou ainda que o consulado dos EUA em Wuhan, que foi fechado no fim de janeiro, não será reaberto.

A imprensa de Houston noticiou que os bombeiros foram ao prédio do consulado na noite desta terça-feira porque havia relatos de fogo no local. Testemunhas relataram que pessoas dentro do consulado estavam queimado papel no que pareciam ser latas de lixo, segundo o jornal Houston Chronicle. Os bombeiros, porém, não puderam entrar no prédio.

Carro dos bombeiros em frente ao consulado chinês de Houston, na noite de terça-feira
O governo da China havia divulgado nesta terça-feira que os Estados Unidos exigiram o fechamento imediato do consulado em Houston, medida que foi classificada de “uma escalada sem precedentes nas recentes ações contra a China”.

O porta-voz do Ministério de Relações Exteriores do país asiático, Wang Wenbin, disse que o pedido americano foi de fechamento imediato da instalação, a partir de sexta-feira.

“Uma violação das normas internacionais e dos acordos consulares entre os dois países, assim como uma tentativa de enfraquecer as relações bilaterais”, disse o funcionário da chancelaria.

Segundo Wenbin, a decisão representa um aumento na escalada de medidas que os Estados Unidos adotam contra a China. “Pedimos que se retratem dessa decisão equivocada, ou do contrário, a China fará represálias legítimas e necessárias”, concluiu.

Além da embaixada em Pequim, os EUA têm consulados em Xangai, Guangzhou, Chengdu e Shenyang.

*Com informações do DW.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).