Senado tem maioria para adiar eleição municipal de 2020, mas Câmara ainda está dividida, diz deputado Rodrigo Maia

Deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).
Rodrigo Maia: aqui na Câmara a posição está mais dividida. A pressão que alguns prefeitos vêm fazendo tem surtido efeito para o não adiamento.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quinta-feira (17/06/2020) que já há maioria no Senado a favor de uma mudança constitucional para adiar as eleições municipais de outubro, mas ressaltou que o tema ainda não é consenso entre os deputados.

Maia afirmou, em live com sobrinho do ex-deputado federal Jutahy Magalhães Júnior (PSDB), Eduardo Magalhães, no Instagram, que o Brasil é um país continental, que pode passar por fases diferentes de contaminação da população em cada região.

“Aqui na Câmara a posição está mais dividida. A pressão que alguns prefeitos vêm fazendo tem surtido efeito para o não adiamento. No Senado, parece que tem uma maioria consolidada pelo adiamento”, disse o presidente da Câmara.

Maia levantou a possibilidade de candidatos à reeleição poderem se beneficiar da situação da panademia, por terem a máquina pública à mão.

“Hoje eu vejo assim, o Senado tem uma maioria para aprovar. A Câmara ainda está muito dividida e acho que hoje ainda não tem número para isso”, disse, acrescentando que a ideia é seguir nas conversas na intenção de se chegar a uma proposta convergente entre as duas Casas.

O Senado iniciou oficialmente os debates sobre o assunto na quarta-feira, em uma sessão temática. Líderes das duas Casas, assim como seus presidentes, vêm conversando com integrantes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sobre eventual adiamento.

*Com informações de Maria Carolina Marcello, da Agência Reuters.

Deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).
Rodrigo Maia: aqui na Câmara a posição está mais dividida. A pressão que alguns prefeitos vêm fazendo tem surtido efeito para o não adiamento.
Sobre Carlos Augusto 9451 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).