Fabrício Queiroz negocia delação premiada em troca de garantias; MP diz que ex-assessor da ALERJ atuou em esquema de corrupção a serviço de Flávio Bolsonaro

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Fabrício Queiroz foi preso em imóvel de Frederick Wassef, advogado do presidente Jair Bolsonaro. O ex-assessor do à época deputado estadual Flávio Bolsonaro é investigado por esquema de rachadinhas no gabinete que beneficiaram o parlamentar.
Fabrício Queiroz foi preso em imóvel de Frederick Wassef, advogado do presidente Jair Bolsonaro. O ex-assessor do à época deputado estadual Flávio Bolsonaro é investigado por esquema de rachadinhas no gabinete que beneficiaram o parlamentar.

Ex-assessor de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) preso na semana passada por esquema de rachacinhas , Fabrício Queiroz negocia delação premiada com o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) em troca de garantias para sua família , segundo divulgou na noite desta sexta-feira (26/06/2020) a emissora CNN Brasil.

Fabrício Queiroz é investigado por esquema de rachadinha que teria ocorrido no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ). Na época, ele era assessor de Flávio e atuava como um chefe de gabinete informal.

O ex-assessor preso está preocupado com sua família dele. A defesa de Fabrício Queiroz pede garantias de proteção para Márcia Aguiar de Oliveira, sua esposa que está foragida, e para Nathalia Mello e Evelyn Mello, suas filhas. Todas são investigadas pelo esquema de rachadinha .

Entre os pedidos de sua defesa, também está para que Queiroz cumpra prisão domiciliar .

A negociação da delação premiada estaria arrastada, segundo a emissora, porque os promotores querem ter certeza que Queiroz irá delatar novas informações e não apenas as que eles já possuem.

Entenda o que é rachadinha

A rachadinha, crime pelo qual Fabrício Queiroz é investigado, é a prática quando funcionários de um gabinete político devolvem parte de seus salários ao político ou assessores.

Ex-advogado de Flávio Bolsonaro e Jair Bolsonaro, Frederick Wassef, mudou a versão sobre o motivo de ter abrigado Fabrício Queiroz

O ex-advogado da família Bolsonaro em alguns processos, Frederick Wassef , disse que escondeu Fabrício Queiroz em sua residência em Atibaia para evitar que o ex-assessor de Flávio Bolsonaro na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) fosse assassinado e a culpa recaísse sobre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“Passei a ter informações de que Fabrício Queiroz seria assassinado. O que estou falando aqui é absolutamente real. Eu tinha a minha mais absoluta convicção de que ele seria executado no Rio de Janeiro. Além de terem chegado a mim essas informações, eu tive certeza absoluta de que quem estivesse por trás desse homicídio, dessa execução, iria colocar isso na conta da família Bolsonaro. Havia um plano traçado para assassinar Fabrício Queiroz e dizer que foi a família Bolsonaro que o matou em uma suposta queima de arquivo para evitar uma delação”, disse Wassef à revista Veja.

Wassef não divulgou as informações sobre  quem orquestrava o plano de matar Queiroz para culpar Bolsonaro e se defendeu dizendo no regular exercício da advocacia. O advogado disse não ter contado sobre o plano para a família Bolsonaro.

“Não. Eu omiti isso do presidente. Eu omiti do Flávio por motivos que me reservo ao direito de não dizer agora. O presidente da República jamais teve conhecimento da autorização para que o Fabrício, caso quisesse, pudesse estar nessas propriedades”, declarou.

Relatório do Ministério Público, que levou à prisão do ex-assessor, reforça o senador no topo de alvo do inquérito das ‘rachadinhas’

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) afirmou, em representação enviada à justiça, que Flávio Bolsonaro é lider da organização das ‘rachadinhas’ na ALERJ. Foram cinco citações como “líder da organização criminosa” instalada em seu gabinete quando ainda era deputado estadual.

Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz estão no centro das investigações do MP do Rio sobre supostos crimes de peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro praticados entre 2007 e 2018, as chamadas ‘rachadinhas’. Segundo os promotores, a prática ocorria “de forma reiterada e estruturada”.

O caso das rachadinhas veio à tona quando um relatório do Coaf (Conselho de Atividades Financeiras) mostrou que o ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz movimentou cerca de R$ 1,2 milhão em sua conta de maneira “atípica”.

*Com informações do iG.

Fabrício Queiroz foi preso em imóvel de Frederick Wassef, advogado do presidente Jair Bolsonaro. O ex-assessor do à época deputado estadual Flávio Bolsonaro é investigado por esquema de rachadinhas no gabinete que beneficiaram o parlamentar.
Fabrício Queiroz foi preso em imóvel de Frederick Wassef, advogado do presidente Jair Bolsonaro. O ex-assessor do à época deputado estadual Flávio Bolsonaro é investigado por esquema de rachadinhas no gabinete que beneficiaram o parlamentar.
Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 121649 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.