Em abril de 2020, setor de serviços na Bahia apresentou queda record, diz IBGE

Tabelas informam índice e variação da receita nominal e do volume das atividades turísticas do mês de abril de 2020.
Tabelas informam índice e variação da receita nominal e do volume das atividades turísticas do mês de abril de 2020.

Em abril, o volume do setor de serviços na Bahia teve quedas recordes tanto na comparação com o mês anterior (-21,0%), na série com ajuste sazonal, quanto frente ao mesmo mês de 2019 (-29,9%). Foram os maiores recuos da série histórica da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), do IBGE, iniciada em 2011.

Frente a março, a queda dos serviços baianos (-21,0%) foi bem superior à verificada no Brasil como um todo (-11,7%, também recorde para o país desde 2011) e a terceira mais intensa entre os estados. Só Alagoas (-26,5%) e Ceará (-21,8%) mostraram resultados piores que o da Bahia.

De março para abril quase todas as 27 unidades da Federação apresentaram recuos no volume de serviços prestados: houve crescimento somente em Mato Grosso (9,0%).

Na comparação com abril de 2019, o setor de serviços na Bahia teve queda ainda mais profunda (-29,9%), também muito maior que a nacional (-17,2%) e a segunda mais intensa entre os estados. Apenas Alagoas (-32,3%) apresentou resultado pior.

No confronto com o mesmo mês do ano passado, dentre os estados, apenas Rondônia teve alta no setor de serviços (3,1%).

Com o quarto resultado negativo consecutivo frente ao mesmo período de 2019, o setor de serviços na Bahia acumula recuo de -12,3% de janeiro a abril de 2020. É a maior queda acumulada no ano, no estado, desde o início da séria da PMS, em 2011, e também o pior desempenho dentre as 27 unidades da Federação.

No país como um todo, os serviços acumulam queda de -4,5% de janeiro a abril de 2020, com resultados positivos apenas em Rondônia (2,7%) e no Amazonas (0,8%).

No acumulado nos 12 meses encerrados em abril, os serviços também seguem em baixa na Bahia (-6,2%). Um desempenho bem inferior ao nacional (-0,6%) e o quarto recuo mais profundo entre os estados.

Mais uma vez, todas as atividades de serviços recuam na Bahia, puxadas pelos serviços prestados às famílias (-75,7%) e transportes (-33,5%)

O recuo recorde no volume do setor de serviços baiano em abril frente ao mesmo mês de 2019 (-29,9%) foi resultado de mais uma queda generalizada, em todos os cinco grupos de atividades investigados pelo IBGE.

Além disso, todas as atividades mostraram aceleração no ritmo de queda, ou seja, recuaram mais em abril do que haviam recuado em março.

Os serviços prestados às famílias tiveram a maior retração dentre as atividades (-75,7%). Foi o pior resultado para o segmento desde o início da série histórica da PMS, em 2011, refletindo a perda de receita de restaurantes e hotéis, que se aprofundou no mês de abril.

Ainda assim, o principal impacto negativo no resultado geral dos serviços baianos, no mês, veio de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio. A atividade também mostrou uma queda recorde no estado (-33,5%) e é a que tem mais peso na estrutura do setor de serviços.

Além da perda das receitas no transporte aéreo de passageiros e no transporte rodoviário coletivo de passageiros, observaram-se quedas no transporte rodoviário de carga, operação de aeroportos, concessionárias de rodovias, entre outros.

Serviços ligados ao turismo também têm quedas recordes na Bahia em abril: -63,1% em relação a março e -72,6% frente a abril/19

Em abril, as atividades de serviços ligadas ao turismo recuaram fortemente em todos os 12 estados onde esse agregado é investigado separadamente. Na Bahia, as quedas foram recordes na série histórica, iniciada em 2011: de -63,1% frente a março (com ajuste sazonal) e de -72,6% na comparação com abril de 2019.

O desempenho das atividades ligadas ao turismo na Bahia, em abril, ficou abaixo do verificado no país como um todo (-54,5% frente a março e -67,3% na comparação com abril/19).

A queda de março para abril no estado (-63,1%) foi a segunda mais intensa, acima apenas da verificada no Rio Grande do Sul (-63,9%). Na comparação com abril de 2019, o resultado baiano foi o quinto pior.

Com o resultado de abril, os serviços ligados ao turismo na Bahia passaram a acumular queda de -19,1% no ano de 2020. O resultado, apesar de bem negativo, ainda está um pouco acima do nacional (-20,9%).

Nos 12 meses encerrados em abril, os serviços turísticos baianos também apresentam recuo acumulado (-5,2%), resultado bem próximo ao do Brasil como um todo (-5,1%).

Tabelas informam índice e variação da receita nominal e do volume das atividades turísticas do mês de abril de 2020.
Tabelas informam índice e variação da receita nominal e do volume das atividades turísticas do mês de abril de 2020.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 110032 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]