Setor de Desenvolvimento Social do NEOJIBA faz 1279 atendimentos psicossociais nos primeiros 4 meses de 2020.

Acolhimento psicossocial à distância.
Acolhimento psicossocial à distância.
Acolhimento psicossocial à distância.
Acolhimento psicossocial à distância.

Só nos primeiro 40 dias da quarentena por causa da pandemia da COVID-19, o setor de Desenvolvimento Social do NEOJIBA, responsável pelo acolhimento psicossocial dos integrantes e familiares do programa, realizou mais de 630 atendimentos. Para continuar perto de quem está longe, os assistentes sociais e psicólogos investem em ligações, mensagens de Whatsapp e conversas por videochamadas.

Olgair Marques, coordenadora do setor, explica que os acolhimentos, durante esse período de isolamento social, acontecem de diversas formas, tanto por demanda dos integrantes quanto dos funcionários do setor no NEOJIBA. “Muitos nos procuram, diretamente. E quando aqueles que nós já acompanhamos mais de perto passam alguns dias sem dar notícia, nós fazemos essa busca ativa, de ligar para saber como estão as coisas”.

Uma mãe de cinco crianças que integram o Núcleo de Prática Musical do Nordeste de Amaralina, em Salvador, está desempregada. Ela conta que estava tendo crises de ansiedade, sem saber como lidar com toda essa situação provocada pela pandemia do novo coronavírus. “A irritabilidade também estava lá em cima. Com cinco crianças dentro de casa, não é fácil.  Foi aí que procurei o serviço social do NEOJIBA e fui encaminhada para uma psicóloga.  A gente conversa todos os dias, por trinta minutos. Os atendimentos são por telefone, mas parece que é real. Quer dizer, real é, né? Parece que é presencial”.

Ela conta que as sessões a ajudaram muito.  “Melhorei 90%. Sei que não acabou ainda. É todo dia, gradativamente. Mas tem sido um apoio fundamental. Se eu estou bem, meus filhos ficam bem”.

Em tempos de isolamento social, a discussão sobre saúde mental está na ordem do dia. Além dos atendimentos psicossociais individuais, o setor de Desenvolvimento Social também promove encontros em grupo, para estimular bate-papos sobre determinado tema e trazer dicas para que todos possam atravessar melhor este período difícil. “Nós trazemos práticas de respiração, de relaxamento. É um momento para que os integrantes possam se abrir, expressar o que estão vivendo”, conta Olgair.

No dia 13 de abril, um desses encontros contou com a presença do psicólogo Alessandro Marimpietri. Ele conversou com cerca de 70 integrantes da Orquestra Juvenil da Bahia e da Orquestra Castro Alves para compartilhar estratégias de apoio. “Nós precisamos enfrentar esse cenário, que é inédito, para nos protegermos adequadamente. A melhor saída é um enfrentamento crítico, mas esperançoso”. Uma das maneiras de colocar esse enfrentamento em prática é estabelecer rotinas, com períodos de estudo, atividade física, diversão, relações pessoais e descanso, defendeu Marimpietri.

Desde o dia 17 de março, o NEOJIBA adotou um novo sistema de ensino-aprendizado para as duas mil crianças, adolescentes e jovens atendidos pelo programa na Bahia. Todas as atividades presenciais foram suspensas por causa da pandemia. As aulas e ensaios passaram a acontecer por meio do NEOJIBA ONLINE, que reúne plataformas de ensino a distância.

Violinista da Orquestra 2 de Julho, principal formação musical do NEOJIBA, Gabriela Dalcom de Oliveira, 19, conta que a música tem sido o seu remédio neste período de isolamento social.  “O NEOJIBA mantém uma chama acesa dentro da gente muito importante. Tem me dado esperança.”

Reuniões de pais

Outros encontros que migraram para as plataformas virtuais foram as reuniões de pais e responsáveis. A primeira delas aconteceu no Núcleo Territorial do NEOJIBA em Teixeira de Freitas e contou com a participação do secretário de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Carlos Martins. Ricardo Castro, fundador e diretor-geral do NEOJIBA, e Eduardo Torres, diretor musical do programa, também têm participado dos encontros. “As reuniões, mesmo de forma virtual, são importantes por aproximar a família de integrantes às ações do Núcleo, estreitar relacionamentos e estimular a participação no programa”, diz Gislaine Romana, coordenadora do NTN de Teixeira de Freitas.

Olgair conta que as reuniões também trouxeram informações sobre os auxílios emergenciais pagos pelos governos federal, estadual e municipal. “Nosso objetivo foi trazer às famílias fontes que eles realmente pudessem confiar, por sermos nós, assistentes sociais e psicólogos, que estávamos fornecendo e tirando dúvidas sobre as informações”.

Nos encontros, os profissionais reforçam para as famílias que estão disponíveis para qualquer dúvida, orientação e acolhimento em momentos de maior estresse ou ansiedade. “Conversar é um ponto-chave. As famílias e os integrante precisa estar cientes de que há uma equipe especializada para acolhê-los”.

Rosa Barbosa, mãe de Lucas e Ricardo, que integram o Núcleo de Cordas Dedilhadas, em Nazaré, centro de Salvador, diz que as reuniões foram “muito proveitosas”. “Pudemos falar das nossas incertezas sobre a situação atual e nossa perspectiva diante disso tudo. A impressão que tive foi que, nesse momento, os integrantes da NEOJIBA não estão sozinhos. Existe um esforço de todos os profissionais para abrandar os efeitos desse caos.  As crianças estão conseguindo participar das aulas online com afinco e dedicação”.

Coordenador do Núcleo Territorial do NEOJIBA em Feira de Santana, Gustavo Laporte conta que as reuniões de pais têm atraído muitos familiares. “Falamos sobre prevenção ao coronavírus e também sobre questões de saúde mental. Nós queremos fazer um recital dos meninos, online, para as famílias. Isso deve acontecer no começo de maio”.

Para Gustavo, a continuidade das atividades do NEOJIBA tem dado aos integrantes a possibilidade de manter uma rotina saudável. “Eles têm aulas, tarefas, encontros. O NEOJIBA tem sido um farol de esperança na vida dessas crianças e jovens”.

Miguel Barbosa, integrante do NTN de Feira de Santana, concorda. “O NEOJIBA ONLINE tem sido super importante pra ajudar a gente a vencer esse isolamento social com o auxílio da música. Seria muito complicado estudar por conta própria e a gente está tendo o auxílio dos professores, que estão passando tarefas para a gente sempre manter o progresso, evoluir, e estar sempre fazendo alguma coisa produtiva”.

Dicas para a quarentena

1 Siga as orientações das autoridades de saúde e mantenha cuidados com a higiene, como lavar as mãos com frequência.

2 Estabeleça rotinas, com períodos de estudo, atividade física, lazer, relações pessoais, descanso. Elas podem mudar a cada semana, para diminuir a sensação de que os dias estão iguais.

3 Aproveite o tempo em casa para fazer o que gosta, como ouvir música, tocar um instrumento, ler livros, assistir filmes e séries.

4 Expresse seus sentimentos

Fontes: Olgair Marques da Silva, coordenadora de Desenvolvimento Social do NEOJIBA, e Alessandro Marimpietri, psicólogo

Sobre o NEOJIBA

Criado em 2007 pelo pianista e maestro baiano Ricardo Castro, o NEOJIBA (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia) promove o desenvolvimento e integração social prioritariamente de crianças, adolescentes e jovens em situações de vulnerabilidade, por meio do ensino e da prática musical coletivos. O programa é mantido pelo Governo do Estado da Bahia, vinculado à Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social e gerido pelo Instituto de Desenvolvimento Social Pela Música.

Em 12 anos de atuação, o NEOJIBA atendeu, direta e indiretamente, mais de 10 mil crianças e jovens entre 6 e 29 anos. As apresentações das suas quatro formações orquestrais e dos seus núcleos de prática musical já foram vistas por mais de 830 mil pessoas no Brasil e no exterior.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108038 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]