Ministro Nelson Teich exonera servidores e muda equipe do Ministério da Saúde em meio à epidemia

Nelson Teich, ministro da Saúde do Governo Bolsonaro.
Nelson Teich, ministro da Saúde do Governo Bolsonaro.
Nelson Teich, ministro da Saúde do Governo Bolsonaro.
Nelson Teich, ministro da Saúde do Governo Bolsonaro.

O ministro da Saúde, Nelson Teich, exonerou nesta quinta-feira (07/05/2020) 13 servidores do ministério contratados na gestão anterior, dando sequência a mudanças iniciadas nesta semana com a demissão de outros cinco nomes, em meio ao avanço da epidemia de Covid-19 pelo país.

Entre os demitidos nesta quinta estão diretores de departamento e programas da Secretaria de Vigilância em Saúde, como o coordenador-geral de emergências e Saúde Pública, Rodrigo Lins Frutuoso. As exonerações foram publicadas no Diário Oficial da União, sem indicar os substitutos ainda.

Na segunda-feira, Teich exonerou o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Denizar Vianna; o deputado José Carlos Aleluia, assessor especial do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, e outros servidores do gabinete.

Vianna, no entanto, deve permanecer no ministério como assessor de Teich, conforme anunciado anteriormente pelo ministro — apesar de ainda não ter sido nomeado oficialmente.

Parte do ministério está sendo ocupado por militares. Além do secretário-executivo, general Eduardo Pazuello, na quarta-feira outros quatro militares do Exército foram designados para ocupar cargos ligados à secretaria.

Entre eles, o tenente-coronel Marcelo Blanco Duarte, que será assessor de Logística, e o tenente-coronel Paulo Guilherme Ribeiro Fernandes, coordenador-geral de Planejamento.

Dos cargos de segundo escalão, saíram até agora apenas João Gabbardo, secretário-executivo de Mandetta, substituído por Pazuello, e Denizar Vianna. O professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro Antonio Carlos Campos de Carvalho foi nomeado para o posto de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos.

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira —principal nome no combate à epidemia de coronavírus— continua no cargo, apesar de ter avisado anteriormente que sairia. Wanderson afirmou nesta semana que Teich decidiu mantê-lo no cargo, em meio a especulações sobre uma possível substituição por decisão política do presidente Jair Bolsonaro.

*Com informações da Agência Reuters.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9387 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).