Agência dos EUA autoriza Remdesivir como tratamento de emergência para Covid-19

Remdesivir é um medicamento antiviral desenvolvido pela Gilead Sciences.Remdesivir é um medicamento antiviral desenvolvido pela Gilead Sciences.

O antiviral remdesivir, da Gilead Science Inc, recebeu autorização de uso emergencial para o Covid-19 da agência de vigilância sanitária Food and Drug Administration (FDA) dos EUA na sexta-feira, abrindo caminho para o uso mais amplo do medicamento em mais hospitais nos Estados Unidos.

Durante uma reunião no Gabinete Oval da Casa Branca com o presidente Donald Trump, o executivo-chefe da Gilead, Daniel O’Day, chamou a medida de um primeiro passo importante e disse que a empresa estava doando 1,5 milhão de frascos da droga para ajudar os pacientes.

“Nos sentimos humildes com esse sendo um primeiro passo importante para … pacientes hospitalizados. Queremos garantir que nada atrapalhe esses pacientes recebendo o medicamento, por isso decidimos doar cerca de 1,5 milhão de frascos”, disse.

A Gilead não respondeu imediatamente a uma solicitação sobre o preço que planeja cobrar pelo medicamento após o esgotamento dessas doações.

A autorização da FDA se aplica a pacientes hospitalizados com Covid-19 grave que necessitam de suplementação de oxigênio.

Gilead disse que o governo federal coordenará a doação e distribuição de remdesivir para hospitais nas cidades mais atingidas pelo Covid-19. Citando a oferta limitada do medicamento, a empresa disse que os hospitais com unidades de terapia intensiva e outros hospitais que o governo julgar mais necessitados receberão prioridade.

Gilead disse na quarta-feira que o medicamento, administrado por infusão intravenosa, ajudou a melhorar os resultados de pacientes com Covid-19, a doença respiratória causada pelo novo coronavírus, e forneceu dados sugerindo que funcionou melhor quando administrado mais cedo no curso da infecção.

Dados divulgados esta semana por um estudo do National Institutes of Health mostraram que o remdesivir reduziu as internações em 31% em comparação com um tratamento com placebo.

O interesse no medicamento de Gilead tem sido alto, pois atualmente não existem tratamentos aprovados ou vacinas preventivas para o Covid-19, e os médicos estão desesperados por algo que possa alterar o curso da doença.

Os recentes dados clínicos aumentaram as esperanças de que o remdesivir possa ser um tratamento eficaz para o novo coronavírus que infectou mais de 3 milhões de pessoas e matou mais de 225.000 em todo o mundo.

Um resumo de estudo divulgado inadvertidamente pela Organização Mundial da Saúde (OMS) na semana passada disse que o remdesivir não melhorou a condição dos pacientes ou reduziu a presença do patógeno na corrente sanguínea. A farmacêutica disse que os resultados foram inconclusivos porque o estudo foi encerrado precocemente.

O remdesivir, que falhou anteriormente como tratamento para o ebola, está sendo julgado contra o Covid-19 porque foi projetado para desativar o mecanismo pelo qual certos vírus, incluindo o novo coronavírus, fazem cópias de si mesmos e potencialmente sobrecarregam o sistema imunológico de seus hospedeiros.

O vice-presidente Mike Pence disse que os 1,5 milhões de frascos começarão a ser distribuídos aos hospitais na segunda-feira.

A companhia

Gilead Sciences (NASDAQ: GILD) é uma empresa de biofarmacologia americana, sediada em Foster City, Califórnia.

A Gilead Sciences investiga, desenvolve e comercializa medicamentos inovadores direcionados para áreas em que ainda existem necessidades médicas não preenchidas,[1] nomeadamente para doenças potencialmente fatais.[2]

Fundada em em 1987 na Califórnia a Gilead tornou-se num período de 25 anos, numa companhia biofarmacêutica com um portfolio de produtos em rápida expansão, com uma forte vertente de investigação e desenvolvimento mantendo operações em três continentes, América do Norte, Europa e Austrália e assegurando a distribuição dos seus medicamentos para o resto do mundo através de parcerias e acordos de licenciamento com outras empresas.

A Gilead tem centrado a sua atividade em áreas terapêuticas com elevada necessidade de resposta, nomeadamente a infeção por VIH, hepatites virais crónicas, infeções fúngicas invasivas, oncologia, doenças inflamatórias, respiratórias e cardiovasculares.

*Com informações de Steve Holland, da Agência Reuters.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]