Quase metade da força de trabalho global sob risco com aumento de desemprego gerado por pandemia, diz OIT

Guy Ryder, diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT).
Guy Ryder, diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT), reval que quase a metade da força de trabalho global está sob risco, com aumento de desemprego gerado por pandemia de Covid-19. Mais de 430 milhões de empresas de manufaturados e varejo estão ameaçadas de “sérias interrupções”, segundo relatório. Mundo tem 3,3 bilhões de trabalhadores. 
Guy Ryder, diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT).
Guy Ryder, diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT), reval que quase a metade da força de trabalho global está sob risco, com aumento de desemprego gerado por pandemia de Covid-19. Mais de 430 milhões de empresas de manufaturados e varejo estão ameaçadas de “sérias interrupções”, segundo relatório. Mundo tem 3,3 bilhões de trabalhadores.

Guy Ryder, diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT), afirmou nesta quarta-feira (29/04/2020) que é preciso proteger, urgentemente, os trabalhadores em situações mais vulneráveis por causa da crise gerada pela covid-19 no mundo.

Em comunicado, Guy Ryder lembrou que milhões de trabalhadores estão sem salário, sem comida, sem segurança social e sem futuro.

Faces

Ao falar das empresas, Ryder disse que milhões de companhias não têm fundos de reserva nem crédito. O chefe da OIT ressalta que essas são as verdadeiras faces da pandemia, e que sem ajuda, elas deixarão de existir.

Os dados fazem parte da terceira edição do Monitor OIT: Covid-19 e o mundo do trabalho, divulgado nesta quarta-feira.

Em todo o mundo, existem 3,3 bilhões de trabalhadores, mas 2 bilhões atuam na economia informal representando a fatia mais vulnerável do mercado de trabalho.

Salário

A OIT revela que 1,6 bilhão de pessoas na economia informal estão afetadas na sua subsistência por causa da pandemia.

O fechamento atingiu pesadamente setores chave gerando uma queda de 60% no salário desses trabalhadores já no primeiro mês da crise.

Este número sobre pra 80% em países da África E das Américas. Na Europa e na Ásia Central, as perdas são de 70% e de 21,6% na Ásia-Pacífico.

Fechamento atingiu pesadamente setores chave gerando uma queda de 60% no salário desses trabalhadores já no primeiro mês da crise.

Carga horária

A agência da ONU estima ainda que a pandemia causou uma queda na carga horária. Deve haver uma deterioração de 10,5% após o segundo trimestre. O que equivale a 305 milhões de empregos de período integral. A situação piorou nas últimas semanas para todas as grandes regiões do mundo.

A OIT afirma que a proporção de trabalhadores dos países que fecharam suas economias caiu de 81% para 68% nos últimos 15 dias.

Apesar de esses resultados devido a mudanças na China, essas medidas têm afetado outros países.

Cerca de 436 milhões de empresas dos setores de atacado e varejo, manufaturados e hospitalidade foram os mais afetados e enfrentam grave risco.

Recuperação

A OIT pede medidas urgentes e flexíveis de recuperação para trabalhadores e empresas especialmente as menores iniciativas e especialmente as que atuam na economia informal.

Para a agência, as medidas de recuperação da economia devem focar na geração de empregos com base em políticas fortes e melhores recursos de proteção social para os trabalhadores.

A OIT afirma que deve haver uma coordenação internacional sobre pacotes de estímulo e medidas de alívio da dívida para que a recuperação seja eficiente e sustentável.

*Com informações da ONU News.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 109968 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]