Moraes Moreira (08/07/1947 – 13/04/2020), o carnaval na esquina do meu coração | Por Juarez Duarte Bomfim

Antônio Carlos Moraes Pires (Moraes Moreira, Ituaçu †08/07/1947 – ★13/4/2020, Rio de Janeiro).

Antônio Carlos Moraes Pires (Moraes Moreira, Ituaçu †08/07/1947 – ★13/4/2020, Rio de Janeiro).

Antônio Carlos Moraes Pires, nosso Moraes Moreira, que nasceu em Ituaçu, na Bahia, em 8 de julho de 1947 e faleceu no Rio de Janeiro, em 13 de abril de 2020.

Eu ia lhe chamar… enquanto corria a barca…

As noites da minha infância e juventude eram embaladas por ‘Preta Pretinha’, tocada nas rádios da Bahia.

Depois, programa obrigatório no calendário momesco anual, era o show dos Novos Baianos na Concha Acústica do Teatro Castro Alves (Salvador – Bahia).

A chegada da Banda já era um espetáculo. As roupas coloridas dos caras, as minissaias de Baby Consuelo (Baby do Brasil). Suas pernas grossas…

Besta é tu… besta é tu…

Todas as apresentações dos Novos Baianos eram apoteóticas. O LP ‘Acabou Chorare’, lendário.

Na década de 1970, o Trio Elétrico Dodô e Osmar – Armandinho introduziu a música cantada no Carnaval da Bahia, com o “megahit” Pombo Correio, na voz de Moraes Moreira.

Moraes já iniciara carreira solo. Nesta mesma época surgia o Trio Elétrico Novos Baianos.

Olhos negros cruéis, tentadores das multidões sem cantor…

Quando o dia amanhecia, após as noites quentes do Carnaval da Praça Castro Alves, acontecia o Encontro dos Trios. O duelo de guitarras entre Armandinho Macedo e Pepeu Gomes; o duelo de vozes entre Moraes Moreira e Paulinho Boca de Cantor.

Caia na estrada e perigas ver…

No verão de 1985, ocorre o grande evento da música pop mundial Rock in Rio. O jovem Juarez Duarte Bomfim estava lá. No lugar certo na hora certa.

As apresentações das atrações nacionais estavam sendo um fiasco. Colocar Erasmo Carlos na noite do Heavy Metal… etc. A qualidade técnica da sonorização dos shows dos brasileiros deixava a desejar. Foi melancólico ouvir Gilberto Gil fazer coro com a plateia e bradar:

Aumenta o som! Aumenta o som!

Porém, sobe ao palco Moraes e Armandinho, acostumados a guiar multidões pelas ruas da Bahia, qual o flautista de Hamelin. Galvanizou e eletrizou aqueles milhares de pessoas.

Juarez Bomfim e Armando Macedo

Juarez Bomfim e Armando Macedo

Balança o chão da Praça

Foram 20 discos solos, assinados por Moraes Moreira. Orgulhoso, passou a dividir o palco com seu filho, David Moreira.

Precocemente, sofreu com problemas de voz e garganta. Mesmo assim, continuou a sua carreira solo.

Em 16 de novembro de 2019, Moraes fez um antológico show na Praia do Forte, paradisíaco balneário do Litoral Norte da Bahia.

Este que vos escreve, compareceu ao lado de sua amada consorte, Cecília Maringoni. O público era composto de fãs, que cantavam, uníssonos, todas as canções.

Em 20 de janeiro deste triste ano de 2020, o Sarau de Itapuã, capitaneado pelo maestro Amadeu Alves, prestou uma homenagem aos Novos Baianos. O cantor Jonga Lima estava iluminado; Fabricio Rios, o virtuose de sempre.

Novo e Velho Baiano Moraes Moreira, abra a porta e a janela, e vem ver o sol nascer.

A Barca continua a correr, na esquina dos nossos corações.

Preta Pretinha:

“Sonhei com Moraes, isso antes de saber (de sua morte). Com certeza foi uma visita dele nesse sonho. Porque ele me ligou na sexta-feira (10/04/2020), conversamos por mais de uma hora. Então esse amigo-irmão estava se despedindo de mim. E ele veio conversar comigo. Eu tava saindo de meu show com ele (no meu sonho) e no carro, na hora que a gente ia chegando perto de casa, lá no Rio, na Gávea, eu falei: vamos saltar ali pra conversar, tomar uma e tal — a saideira. Ele: é, vamos! Todo animado…. Eu falei: Salta aí que eu já vou. Só vou estacionar o carro e volto. Só que o sonho acabou. Eu não voltei e ele partiu. Meu amigo, vá com Deus! Meu irmão. Moraes Moreira, no coração e agora na saudade”.

*Juarez Duarte Bomfim, sociólogo e mestre em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), doutor em Geografia Humana pela Universidade de Salamanca, Espanha; e professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS).

Confira vídeo

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Juarez Duarte Bomfim
Baiano de Salvador, Juarez Duarte Bomfim é sociólogo e mestre em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), doutor em Geografia Humana pela Universidade de Salamanca, Espanha; e professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Tem trabalhos publicados no campo da Sociologia, Ciência Política, Teoria das Organizações e Geografia Humana. Diversas outras publicações também sobre religiosidade e espiritualidade. Suas aventuras poético-literárias são divulgadas no Blog abrigado no Jornal Grande Bahia. E-mail para contato: [email protected]