Indicadores antecedentes têm a maior queda mensal já registrada, diz OCDE

Economia é afetada pelo isolamento social e redução da atividade produtiva, decorrente da pandemia de Covid-19.
Economia é afetada pelo isolamento social e redução da atividade produtiva, decorrente da pandemia de Covid-19.
Economia é afetada pelo isolamento social e redução da atividade produtiva, decorrente da pandemia de Covid-19.
Economia é afetada pelo isolamento social e redução da atividade produtiva, decorrente da pandemia de Covid-19.

As principais economias estão vendo a maior queda mensal nas atividades já registrada em meio à crise do coronavírus, e não há um fim à vista com clareza sobre quanto tempo vão durar as quarentenas, disse a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) nesta quarta-feira (08/04/2020).

A OCDE disse que seus indicadores antecedentes, projetados para marcar pontos de virada na atividade econômica, sugerem que todas as principais economias mergulharam em uma “forte desaceleração”, com apenas a Índia registrando só “simples desaceleração”.

Os indicadores estão sinalizando “a maior queda já registrada na maioria das grandes economias”, disse a OCDE, sediada em Paris, em comunicado, acrescentando que a enorme incerteza sobre quanto tempo os isolamentos durarão prejudicaram severamente seu valor preditivo.

Como resultado, a OCDE disse que os indicadores “ainda não são capazes de antecipar o fim da desaceleração, especialmente porque ainda não está claro o quão longas, nem mesmo o quão severas, serão as medidas de bloqueio”.

No mês passado, a OCDE estimou que cada mês que as principais economias passarem em confinamento reduzirá 2 pontos percentuais de seu crescimento anual.

*Com informações da Agência Brasil.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108644 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]