Feira de Santana: Vereador repercute filiação ao DEM e volta a criticar Governo do Estado

Cadmiel Mascarenhas: tive que me desfiliar do PSC e quero agradecer ao partido por tanto tempo que estive lá e as votações expressivas as vezes que me candidatei.
Cadmiel Mascarenhas: tive que me desfiliar do PSC e quero agradecer ao partido por tanto tempo que estive lá e as votações expressivas as vezes que me candidatei.

Em pronunciamento, na sessão ordinária desta segunda-feira (13/04/2020), na Câmara Municipal de Feira de Santana, o edil Cadmiel Pereira (DEM) tratou sobre sua filiação ao DEM e criticou Governo do Estado.

“Tive que me desfiliar do PSC e quero agradecer ao partido por tanto tempo que estive lá e as votações expressivas as vezes que me candidatei. Parabenizo aos líderes do PSC, que Deus os abençoe. Eu tinha que decidir e aceitei o convite de José Ronaldo para me filiar ao DEM, pois acredito no projeto dele, de Colbert e de Fernando Torres na luta por uma Feira de Santana melhor. Temos outros partidos do grupo que também estão neste projeto”, pontuou Cadmiel.

E continuou. “Feira de Santana é uma cidade que está sempre à frente da região metropolitana. Governador, entenda que Feira não morreu ninguém de coronavírus, mas já morreu mais de 40 de bala. É para comprar máscara ou colete a prova de balas? Está chegando atrasado. Feira de Santana não vive a reboque de Salvador. Cadê o novo hospital? Cadê o secretário estadual de saúde, que ainda não veio visitar nossa cidade nesta pandemia? Se não fosse o prefeito, os vereadores e empresários estaríamos ilhados em Feira de Santana”, avaliou.

Segundo Cadmiel, o governador não gosta de Feira de Santana e por isso não dá a atenção devida. “Aqui só temos tiros. O povo precisa ter vida e de qualidade.  Durante esta pandemia, o governador e secretarias estaduais não sentaram com os empresários da cidade para discutir ações. É um estado de falência moral. O PT disse que importante é ter estádio, e agora servem para quê? Ruim Costa não gosta de Feira de Santana, se dependesse do PT estaríamos ilhados. Em termos de políticas públicas, onde está o governador? Aí falam que prefeitos desavisados querem permitir a abertura de igrejas, mas permitem abertura de farmácias e mercados. Nós temos vida regidas por lei, mas somos homens de fé e queremos que o sagrado seja respeitado, o culto sagrado respeitando as orientações das autoridades de saúde. Igreja é grande parceira do Estado”, observou.

Em aparte, o edil Eli Ribeiro (REP) afirmou que o Carnaval foi realizado mesmo os governadores sabendo desta situação. “E agora a igreja que é culpada. A igreja é o local onde as pessoas se encontram e são confortadas”, disse.

Para finalizar, Cadmiel disse que graças ao Mensalão e a Lava Jato a Bahia sofre. “Imagine se Feira de Santana não tivesse suspendido a Micareta? Parabéns Colbert pelo exemplo de responsabilidade. Num determinado momento o comércio vai abrir e a economia volta a girar. Muitos precisam de um alento para esse momento que estamos passando”, findou.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 107981 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]