Ex-ministro Sérgio Moro rebate presidente Jair Bolsonaro e diz que não usou Valeixo como moeda de troca para indicação ao STF

Ex-ministro Sérgio Moro contesta versão do presidente Jair Bolsonaro.
Ex-ministro Sérgio Moro contesta versão do presidente Jair Bolsonaro.
Ex-ministro Sérgio Moro contesta versão do presidente Jair Bolsonaro.
Ex-ministro Sérgio Moro contesta versão do presidente Jair Bolsonaro.

O ex-ministro da Justiça Sergio Moro rebateu o presidente Jair Bolsonaro nesta sexta-feira (24/04/2020) e negou que tenha colocado a permanência de Mauricio Valeixo no comando da Polícia Federal como moeda de troca para uma eventual indicação dele ao Supremo Tribunal Federal (STF).

“A permanência do diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, nunca foi utilizada como moeda de troca para minha nomeação para o STF. Aliás, se fosse esse o meu objetivo, teria concordado ontem com a substituição do diretor-geral da PF”, escreveu o ex-ministro no Twitter.

Em pronunciamento no Palácio do Planalto, Bolsonaro afirmou que Moro lhe disse por mais de uma vez que poderia tirar Valeixo do comando da Polícia Federal apenas em novembro, depois de indicá-lo para uma vaga no Supremo.

Ex-ministro deu margem a entendimento de que presidente cometeu crimes de responsabilidade

Segundo o Jornal Valor Econômico, o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro dispõe de uma série de mensagens de áudio e de texto trocadas com o presidente Jair Bolsonaro ao longo dos quase 14 meses em que participou do governo, desde que deixou a magistratura e os processos penais do Caso Lava Jato.

*Com informações de Eduardo Simões, da Agência Reuters.

Leia +

Presidente Jair Bolsonaro nega interferência na PF e diz que Sérgio Moro aceitaria troca de comando após indicação ao Supremo Tribunal Federal

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 110063 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]