CDC dos EUA tira orientações sobre cloroquina e hidroxicloroquina do site

Dr. Anthony S. Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA.
Dr. Anthony S. Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA.
Dr. Anthony S. Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA.
Dr. Anthony S. Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA.

O Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC) removeu de seu website orientações altamente incomuns que informavam médicos sobre como prescrever a hidroxicloroquina e a cloroquina, remédios recomendados pelo presidente Donald Trump para tratar o coronavírus.

A medida acontece três dias depois da Reuters noticiar que o CDC publicou importantes informações sobre dosagem envolvendo os dois medicamentos utilizados no tratamento da malária baseadas em relatos sem autoria em vez de orientações revisadas por cientistas.

A Reuters também noticiou que a orientação original foi elaborado pelo CDC depois que o presidente Trump pressionou pessoalmente autoridades reguladoras e de Saúde para tornar os medicamentos mais amplamente disponíveis para o tratamento do novo coronavírus, embora os medicamentos em questão não tenham sido propriamente testados para a Covid-19.

Inicialmente, a página do CDC intitulada “Informações para Clínicos sobre Opções Terapêuticas para Pacientes com a Covid-19” dizia: “Embora a dosagem e duração ótimas da hidroxicloroquina no tratamento para a Covid-19 sejam desconhecidas, alguns clínicos dos EUA têm reportado” sobre as maneiras de prescrever o medicamento para a Covid-19.

Especialistas da área médica expressaram à Reuters que estavam surpresos com a linguagem utilizada no comunicado. “Por que o CDC publicaria relatos?”, perguntou o dr. Lynn Goldman, reitor da Escola de Saúde Pública Instituto Milken da Universidade George Washington.  “Isso não faz sentido. Isso é muito incomum.”

Médicos e outros especialistas da área de saúde haviam criticado as orientações dizendo ainda que elas sugerem que médicos poderiam prescrever os medicamentos quando não estiver claro se eles são ou não são eficazes ou prejudiciais.

Agora o website do CDC não possui mais as informações. Em vez disso, a primeira frase diz: “Não há medicamentos ou outros terapêuticas aprovados pela Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA) para prevenir ou tratar a Covid-19.”

A orientação atualizada e abreviada acrescenta que “Hidroxicloroquina e cloroquina estão sob investigação em testes clínicos” para uso em pacientes com o coronavírus.

O CDC não respondeu imediatamente à perguntas enviadas sobre a remoção das orientações originais. Em nota, o órgão havia dito à Reuters que teria elaborado as orientações para médicos a pedidos de uma força-tarefa para o coronavírus, que havia exigido ação imediata.

*Com informações de Aram Roston, Marisa Taylor, da Agência Reuters.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9368 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).