Itália impõe quarentena a um quarto da população em decorrência do Covid-19

Mesas vazias do lado de fora de um restaurante na Praça de São Marcos, em Veneza, em 5 de março de 2020. Quarentena de parte da população foi tomada na China em janeiro de 2019 para conter novo coronavírus vai afetar 16 milhões de pessoas no norte da Itália. Governo também ordena fechamento de cinemas e museus em todo o país.

Mesas vazias do lado de fora de um restaurante na Praça de São Marcos, em Veneza, em 5 de março de 2020. Quarentena de parte da população foi tomada na China em janeiro de 2019 para conter novo coronavírus vai afetar 16 milhões de pessoas no norte da Itália. Governo também ordena fechamento de cinemas e museus em todo o país.

O governo da Itália anunciou uma série de medidas drásticas para conter o avanço do novo coronavírus. Neste domingo (08/03/2020), o primeiro-ministro, Giuseppe Conte, assinou um decreto que colocou em quarentena a maior parte do norte do país, impondo restrições ao deslocamento de pelo menos 16 milhões de pessoas.

A medida representa o esforço mais abrangente tomado fora da China para conter o avanço da doença. A Itália é o terceiro país mais afetado pelo novo coronavírus depois do país asiático e da Coreia do Sul. O governo italiano já registrou quase 6.000 casos de contaminação e 233 mortes.

Além de isolar o norte do país, o governo de Conte ordenou o fechamento de todos os cinemas, museus, teatros e piscinas públicas em todo o território italiano. O fechamento desses locais, assim como a quarentena no norte, deve valer até pelo menos 3 de abril. Empresas também foram orientadas a permitir que seus funcionários possam trabalhar de casa.

Medida afeta Veneza, que viu movimento de turistas despencar
A imprensa italiana informou que também serão proibidos casamentos, funerais, eventos esportivos e culturais e que bares que não impuserem regras para que clientes mantenham distância um do outro podem sofrer sanções. Nesta semana, o governo já havia anunciado o fechamento de todas as escolas e universidades em todo o país até pelo menos 15 de  março.

Já a quarentena imposta ao norte afeta toda a região da Lombardia e outras 14 províncias. Os moradores vao precisar de uma permissão especial para deixar a região, assim como habitantes de outras províncias que desejarem se desclocar para o norte. A medida feta diretamente cidades como Milao, a capital econômica do país, e Veneza. Antes da publicação do decreto, apenas algumas regiões específicas do norte do país haviam sido colocadas em quarentena, afetando cerca de 50 mil pesssoas.

Já a ampla quarentena imposta neste domingo  é similar à que foi tomada em janeiro na província chinesa em Hubei no final de janeiro.

Giuseppe Conte declarou na madrugada deste domingo que o decreto é difícil, mas necessário para “conter a propagação do contágio”

“Ao mesmo tempo, devemos reagir para não sobrecarregar os hospitais”, frisou o primeiro-ministro italiano.   “Não podemos mais permitir que as pessoas sejam infetadas.”

“Essas medidas causarão situações problemáticas, mas este é o momento de responsabilidade e não de preparação. Devemos proteger a nossa saúde, especialmente a dos nossos avós”, afirmou.

“Assumimos total responsabilidade política por esta decisão. Estamos convencidos de que essa emergência será superada”, garantiu Giuseppe Conte.

Ainda neste domingo, o papa Francisco celebrou a Oração do Angelus a partir da Biblioteca do Palácio Apostólico. A cerimônia foi exibida por vídeo para evitar a aglomeração na Praça São Pedro.

*Com informações do DW.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]