Extremista de direita Jair Bolsonaro incentiva participação em protesto contra instituições democráticas; Presidente qualifica escalada fascista com ‘pró-Brasil’

Presidente Jair Bolsonaro, extremista de direita incentiva ataque às instituições democráticas.
Presidente Jair Bolsonaro, extremista de direita incentiva ataque às instituições democráticas.
Presidente Jair Bolsonaro, extremista de direita incentiva ataque às instituições democráticas.
Presidente Jair Bolsonaro, extremista de direita incentiva ataque às instituições democráticas.

O extremista de direita Jair Bolsonaro incentivou neste sábado (08/03/2020) a população a participar do protesto contra instituições democráticas agendadas para o dia 15 de março, afirmando falsamente que elas não têm o objetivo de protestar contra os poderes Legislativo e Judiciário. O presidente da República qualificou a escalada fascista, organizados pelos apoiadores do bolsonarismo, como ‘pró-Brasil’

Segundo ele, aquele que diz que se trata de um protesto contra a democracia está mentindo. Para o presidente, é um movimento “pró-Brasil”.

“Dia 15 agora, um movimento de rua espontâneo. O político que tem medo de movimento de rua não serve para ser político. Então participem, não é um movimento contra o Congresso, contra o Judiciário, é um movimento pró-Brasil”, afirmou ele.

“Quem diz que é um movimento contra a democracia está mentindo e tem medo de encarar o povo brasileiro”, concluiu Bolsonaro, segundo vídeo postado no Facebook.

A fala foi feita a uma plateia em Boa Vista (RR), em escala da viagem de Bolsonaro para os Estados Unidos, onde ele se encontra neste sábado com o presidente Donald Trump.

Os atos do dia 15 já causaram polêmica quando o presidente compartilhou com contatos no WhatsApp vídeos convocando para as manifestações.

Alguns grupos de apoio ao presidente querem usar essas manifestações como protesto contra o Congresso e o STF, depois de declaração do ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, captada durante transmissão ao vivo de uma cerimônia de hasteamento da bandeira em uma rede social de Bolsonaro, em que o ministro acusa parlamentares de chantagearem o governo por causa da disputa sobre o Orçamento impositivo.

Nova convocação de Bolsonaro para protestos desagrada a lideranças na Câmara

A convocação do presidente Jair Bolsonaro a seus seguidores para comparecer à manifestação no dia 15 de março desagradou a lideranças na Câmara dos Deputados, que veem uma tentativa do governo de criar uma “cortina de fumaça” para o desempenho ainda baixo do crescimento econômico do País.

“Acho que o presidente ao invés de insuflar manifestações deveria estar construindo condições para concentrar os esforços na solução do que realmente interessa”, avalia o líder do Democratas na Câmara, Efraim Filho (PB).

Em Boa Vista, Roraima, o presidente convocou os brasileiros a participar da manifestação e afirmou que o movimento é “espontâneo”, rechaçando qualquer investida contra o Congresso Nacional ou o Judiciário. “O político que tem medo de movimento de rua não serve para ser político”, disse Bolsonaro.

A declaração vem um dia após o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), subir tom nas críticas ao governo e dizer que o entorno do governo tem uma estrutura para “viralizar o ódio” por meio de fake news.

Para Efraim Filho, o foco da agenda do País não pode ser a “disputa entre poderes”. Na avaliação do líder, a agenda prioritária é a retomada do crescimento econômico. “A agenda do Brasil hoje é da retomada do desenvolvimento, recuperação dos empregos e o enfrentamento da epidemia do coronavírus”, diz.

O líder do PT na Câmara, Enio Verri (PR), afirma que Bolsonaro usa a convocação para as manifestações como manobra para tirar o foco do desempenho da economia. Nesta semana, o IBGE divulgou que a economia brasileira cresceu 1,1% em 2019, numa desaceleração ante os dois anos anteriores.

“Ele (Bolsonaro) precisou retomar (o assunto) porque ele quer ofuscar os resultados econômicos que nós tivemos essa semana. Afinal de contas, o PIB de 1%, o dólar chegando a R$ 5,00, a Bolsa de Valores como está, nós sabemos que não é só coronavírus”, afirmou. O petista acredita que a convocação por Bolsonaro é uma forma “desviar a atenção”.

*Com informações de Lisandra Paraguassu e Roberto Samora, da Agência Reuters e

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 109881 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]