Deputado Nelson Leal apresenta moção de pesar pela morte do sambista Riachão

Clementino Rodrigues (Riachão) faleceu aos 98 anos por causas naturais.

Clementino Rodrigues (Riachão) faleceu aos 98 anos por causas naturais.

“A Bahia perde mais um pedaço de sua alma, nesta segunda-feira (30/03/2020), com a morte, aos 98 anos, do grande sambista Riachão. Sou de quase perto de Minas, de Livramento de Nossa Senhora, e a primeira canção do samba baiano que ouvi foi de Riachão, com o seu grande sucesso ‘Cada macaco no seu galho’, na voz de outro baiano genial, Gilberto Gil, cujas origens estão perto das minhas, em Ituaçu. É a música de um cronista popular, irreverente, que viveu pelas feiras, mercados e ruas da cidade captando o que o povo pensa e diz, marcando indelevelmente a nossa baianidade”, destacou o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia – ALBA, deputado Nelson Leal, em moção de pesar, apresentada perante à Mesa Diretora da ALBA.

O presidente Nelson Leal disse que o nome de Riachão já está imortalizado, inclusive já dando nome ao circuito do Carnaval no bairro do Garcia. “O que devemos fazer agora é perpetuar a sua obra musical. São mais de 500 composições que precisam ser organizadas e gravadas. A Assembleia Legislativa da Bahia, através do selo ALBA Cultural, está disposta em colaborar no que for preciso para que o legado de Riachão seja preservado e passado para as futuras gerações”, disse Leal, externando o seu abraço de solidariedade à família e aos amigos de Riachão.

Riachão era o nome artístico de Clementino Rodrigues, considerado um dos maiores bambas do samba da Bahia. É autor de músicas que marcaram época para diversas gerações, retratando acontecimentos locais, como, por exemplo, a visita da Rainha Elizabeth II, da Inglaterra, ao Brasil – e à Bahia – em 1968: “Sei que também você viu, em plena Avenida Sete, foi aplaudida no Palácio da Aclamação, foi a maior emoção, a Rainha Elizabeth”.

 Deputado federal João Roma lamenta morte do sambista Riachão

O deputado federal João Roma (Republicanos) lamentou nesta segunda-feira (30/03/2020) a morte do sambista baiano Riachão, Clementino Rodrigues que faleceu aos 98 anos por causas naturais. Autor de sucessos como ‘Cada Macaco no seu Galho’ e ‘Vá Morar com o Diabo’, Riachão era um dos mais cultuados nomes do samba brasileiro, com lugar cativo ao lado de Cartola, Nelson Sargento, Dona Ivone Lara e tantos outros.

“Hoje nos despedimos de uma das figuras mais marcantes do samba brasileiro, o cantor e compositor baiano Riachão, que deixa um imenso legado para a música baiana e brasileira. Riachão deixa uma marca inestimável para a nossa Cultura que devemos preservar e cultuar”, disse Roma.

Riachão era o nome artístico de Clementino Rodrigues, considerado um dos maiores bambas do samba da Bahia. Deputado Nelson Leal assegura que o selo ALBA cultural vai colaborar com a preservação da obra.

Riachão era o nome artístico de Clementino Rodrigues, considerado um dos maiores bambas do samba da Bahia. Deputado Nelson Leal assegura que o selo ALBA cultural vai colaborar com a preservação da obra.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]