Caminhos para o Sol, nunca mais seremos os mesmos | Por Gilma Reis

Caminhos para o Sol, nunca mais seremos os mesmos!

Por Gilma Reis (Psicóloga)

“Convertei-vos, isto é, mudai de vida” (MT, 4.17), porque começou um novo  modo de viver. Acabou tempo de viver para si mesmo, começou o tempo de viver com Deus e para Deus, com os outros e para os outros e para os outros, com amor e por amor. (Papa Francisco)

A sociedade e o mundo estavam precisando de novas mudanças, e acredito que a hora é essa, daqui pra frente tudo vai ser diferente, nós temos que aprender a ser gente, a palavra mágica pra esse tempo chama-se, solidariedade, paciência, fé, reflexão, meditação, nada  mais importa, o que importa é a vida. Nós não sabemos de fato o que está acontecendo no universo, mas sabemos que o mundo parou, ouvimos varias opiniões a respeito da situação, mas não sabemos ao certo do que esta acontecendo.

Alguns acreditam ser uma conspiração divina, outros dizem ser uma armação biológica da China para benefícios econômicos, outros pensam ser uma intervenção divina, outros acreditam ser uma manifestação da natureza. Bem, o que sabemos é que estamos todos no mesmo barco e diante de um fenômeno gigante que ameaça a todos e coloca-nos na mesma posição social, ou seja, todos podem morrer e isto é fato. Independente das diferentes formas de pensamento o mundo parou e é hora de nos educarmos para uma vida com sentido, com propósito, com igualdade, liberdade interior, responsabilidade, comprometimento com a vida.

“O físico e cosmólogo de renome mundial, Stephen Hawking (1942-2018) deixou para trás uma trilha de citações famosas, palavras sábias e ditados inspiradores antes de sua morte: “Ganância e estupidez são o que acabará com a raça humana”. Em 2016, durante uma entrevista com Larry King, do programa de entrevistas a Now, Hawking disse que a humanidade sempre foi seu maior problema. Estamos conscientemente nos aproximando demais de um momento em que as mudanças climáticas seriam irreversíveis e infelizmente, não há avanços à vista. “Certamente não nos tornamos menos gananciosos ou menos estúpidos”. “Seis anos atrás eu estava preocupado com poluição e superlotação”.

O homem moderno não tinha mais tempo para sua vida e a vida do outro, as famílias não mais se encontravam em suas próprias casas, pais não viam seus filhos, filhos não viam seus pais, as pessoas não tinham mais tempo para Deus, oração, meditação, reflexão, visitar amigos, pessoas idosas, contemplar a natureza, ler um livro, ouvir uma boa musica, tocar um instrumento, em fim dar valor às coisas simples.

“Em tempos de recolhimento em casa e ISOLAMENTO SOCIAL, atitude importante para conter o COVID-19  você pode fazer da tua casa uma FESTA: Ouve música, cantar, dançar.. Faz da tua casa um TEMPLO: Reza, ora, medita, pede, agradece, louva, suplica…Faz da tua casa uma ESCOLA: Lê, escreve, desenha, pinta, estuda, aprende, ensina… Faz da tua casa uma LOJA: Limpa, arruma, organiza, decora, etiqueta, muda de lugar, vende, doa…Faz da tua casa um RESTAURANTE: Cozinha, come, prova, cria receitas, cultiva temperos, planta uma horta… Enfim…faz da tua casa, da tua família, UM LUGAR DE AMOR CRIATIVO”.

Quando eu me perco é quando eu te encontro/ Quando eu me solto seus olhos me vêem/ Quando eu me iludo é quando eu te esqueço/Quando eu te tenho eu me sinto tão bem, você me fez sentir de novo o que eu já não me importava mais/ Você me faz tão bem / Você me faz, Você me faz tão bem. (Detonautas)

O mundo estava numa verdadeira loucura, às pessoas não tinham mais tempo para nada, mas de repente nos deparamos com o stop, somo todos obrigados a parar e ficarmos em casa. Com tempo e tempo de sobrar para fazer muitas coisas que antes gostaríamos de fazer e não podíamos. O isolamento social não nos remete a solidão, mas um ficar conosco mesmo e com os que amamos, pois agora podemos arrumar nossa casa, rever nossa vida, cuidar da nossa alimentação, das nossas emoções e pensamentos, estamos cuidado do nosso jardim! O mundo parou e conspira ao nosso favor, o céu silenciou e nos convida a mudarmos de vida, é hora de mudar a rota do universo.

Quando o sol bater / Na janela do teu quarto / Lembra e vê / Que o caminho é um só / Por que esperar / Se podemos começar / Tudo de novo. / Agora mesmo / A humanidade é desumana / Mas ainda temos chance / O sol nasce pra todos / Só não sabe quem não quer / Tudo é dor / E toda dor vem do desejo de não sentirmos dor (Renato Russo)

O modelo de sociedade que antes prosseguíamos agora não será mais cabível. E por isso esse freio, tudo isso vêm nos mostrar que, do jeito que a humanidade estava indo não seria mais possível a sua sobrevivência, e que coisas bem piores nos aconteceria sem esse breque. O modelo econômico neoliberal o mais nocivo possível no qual tem conduzido as pessoas ao um materialismo e consumo desenfreado, politica sem princípios e total acessão à corrupção, riqueza sem trabalho, prazer sem compromisso, meios de comunicação sem cumprido seu papel social, mas alienando e manipulando a sociedade, negócios sem moral, ciência sem humanidade, religião com (oração) sem caridade. Nesse sentido, o mundo globalizado só tem arrebentado  com vida dos povos, raças e nações com suas ideologias, desconstruindo crenças, vida comunitária, culturas, traduções, colocando o homem em total  isolamento, abondo social, sem oportunidade de inclusão, uma verdadeira  direção abismal,  e ainda chama isso de civilização?

Realmente, o  modelo de sociedade baseada no materialismo, tem rompido com os valores mais nobre do mundo, o valor a Deus,  o valor a nossa  vida,   a vida do seu semelhante,  o valor da sua a família, o valor do seu corpo, o valor da sexualidade e o valor a natureza –  lugar do nosso próprio  sustento. Nesse sento, tendo o homem perdido a sua identidade e direção, este tem sido acometido pela desintegração, causando-lhes, ansiedade, depressão, preocupação excessiva, falta de fé e de esperança na vida, um total desencantamento no mundo.

Mesmo que ainda houvesse chance de salvar a Terra, o cosmologo Hawking, “estava convencido de que a humanidade nunca veria razões para tomar ações sólidas, unidas e bem direcionadas. Nas suas palavras, “[…] a evolução incorporou ganância e agressão ao genoma humano. Não há sinal de diminuição de conflitos, e o desenvolvimento de tecnologia militarizada e armas de destruição em massa pode tornar isso desastroso. ”A única maneira de preservar nossa espécie seria garantir algum tipo de planeta reserva por um tempo em que a Terra se tornasse completamente habitável”.

Por isso, uma nova sociedade com proposito é necessário nascer. A palavra agora que não quer calar chama-se “solidariedade e união”!  Pois todos passaram a entender que ninguém é melhor que ninguém e que devemos  viver uns para os outros, dando, adeus  ao sentimento de auto suficiência, arrogância, prepotência, somo chamado nos desapegar aos status, títulos e competições acirradas, e entender que  certas profissões e aos cargos públicos e privados são meros chamados de Deus a cumprir missão,  vamos banir de uma vez por todas ao sentimento de privilégios em possuir  aos carros e  casas de luxos, como se nessa hora eles pudessem salvar a nossa própria vida, cabe aqui também refletir sobre o pensamento niilista, ateísmo, de falta  fé e de espiritualidade, nada mais disso cabe a esse momento, deixemos para traz certas ideologias que só nos dividem e nos levam ao caos, agora é uma nova era, de gente civilizadas que acreditam no amor fraterno e capaz de refazer aos homens.

 É tempo de graça, de empatia e resiliência, tempo de caminho para o sol, sol este  que vai iluminar a humanidade para mundo novo  em Cristo Jesus, em Deus, na sua crença, na cosmologia universal. Por isso nada do que foi será do jeito que já foi um dia, tudo passa, tudo passará como diz a cação do Lulu,  então,  nada de a ansiedade, de pressa, agoinia, depressão, paranoia, pessimismo, mesmo diante do sofrimento e da morte, Deus está conosco e podemos nos ajudar!  Vamos deixar de lado a resistência, o egoísmo, a raiz de todos os males na sociedade, o egoísmo nos torna perversos  e desumanos, pois enche nossa cabeça e coração de tudo que é ruim: competição, ódio, destruição da natureza, violência, miséria, indiferença para com Deus e seu semelhante, auto suficiência, divisão entre classe social, cor, raça,  gênero e outros, nesse sentido, olhemo-nos uns para os outros, somos bem mais iguais do que pensamos. Somos parte de um todo, de um que forma unidade, o ecossistema, o equilíbrio da ecologia, por isso se nos dividimos o mundo se desequilibra e gera o caos.

 A gora não há mais lugar para as diferenças e as desigualdades, pois  o universo estabeleceu a igualdade social para todos, estamos no mesmo barco, o barco de salvar a “vida,”  o céu conspira a nosso favor, algo antes ser possível acontecer entre os homens, pois, o próprio Deus nos oportuniza. O mundo parou, der repente silenciamos e nos voltamos para dentro de nós mesmo e olhamos para o outro, como disse Viktor Frankl, o homem necessita de uma vida com sentido e com propósitos e bem definidos, a sociedade vim sem sentido, atender ao chamado que a vida lhe faz, é entender  a nossa missão neste mundo e assim podemos encontrar a verdadeira razão de viver de existirmos.

Por isso, não devemos vibrar no medo, no pavor,  mas nas oportunidades de nos transformar,  mudar o nosso  modo de pensar e agir, diante de nós e do outro, ninguém é melhor que ninguém, somos todos seres mortais, e o caos está nos dando essa  oportunidade de repensarmos a nossa existência, e de construirmos uma sociedade,  mais humana,  altruísta, solidaria, comunitária, transcendente. Vamos procurar Viver os dois mandamentos que Jesus nos concedeu, amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo!

Sobre as consequências futuras, o Papa Francisco afirma: que o que está acontecendo servirá para “lembrar aos homens de uma vez por todas que a humanidade é uma única comunidade”. E como é importante, decisiva, a fraternidade universal. Devemos pensar que será um pouco, um pós-guerra. Não haverá mais “o outro”, mas seremos “nós”. Porque nós só podemos sair desta situação juntos. Devemos olhar ainda mais para as raízes: os avós, os idosos. Construir uma verdadeira fraternidade entre nós. Recordar esta experiência difícil que todos nós vivemos juntos. E seguir em frente com esperança, que nunca decepciona. Estas “serão as palavras-chaves para recomeçar: raízes, memória, fraternidade e esperança”.

Referencias bibliografas:

https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2020-03/o-papa-sobre-a-pandemia-diante-de-deus-todos-somos-filhos.html?fbclid=IwAR3W4_S-vLzVDXWvUm-PrLv9Q3_Oii-quxdeInBDuVMAFjteuBjOTYoo2r8

https://www.pensarcontemporaneo.com/stephen-hawking-ganancia-e-estupidez-sao-o-que-acabara/?fbclid=IwAR1G0lEYVP:ARub7Qu9D1Bda9OWLfKho3I9QSlz52bwkBcl9deH4Tc9TsJzk

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Juarez Duarte Bomfim
Baiano de Salvador, Juarez Duarte Bomfim é sociólogo e mestre em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), doutor em Geografia Humana pela Universidade de Salamanca, Espanha; e professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Tem trabalhos publicados no campo da Sociologia, Ciência Política, Teoria das Organizações e Geografia Humana. Diversas outras publicações também sobre religiosidade e espiritualidade. Suas aventuras poético-literárias são divulgadas no Blog abrigado no Jornal Grande Bahia. E-mail para contato: [email protected]