Bolsa de Valores do Brasil sobe quase 10%, e dólar cai para R$ 5,08 em dia de recuperação; Índice Dow Jones registra ganho histórico da Bolsa dos EUA com possível pacote de estímulo do Governo de Donald Trump

Em Nova York, índice Dow Jones teve melhor sessão desde 1933, destaca The Wall Street Journal.
Em Nova York, índice Dow Jones teve melhor sessão desde 1933, destaca The Wall Street Journal.
Em Nova York, índice Dow Jones teve melhor sessão desde 1933, destaca The Wall Street Journal.
Em Nova York, índice Dow Jones teve melhor sessão desde 1933, destaca The Wall Street Journal.

Em meio ao anúncio de medidas emergenciais no Brasil e no exterior, o mercado financeiro teve um dia de trégua. A bolsa de valores, que na segunda-feira (23/03/2020) caiu 5,22%, subiu quase 10% nesta quarta-feira (24). O dólar, que ontem tinha encostado em R$ 5,14, fechou abaixo de R$ 5,10.

O índice Ibovespa, da B3, a Bolsa de Valores brasileira, fechou esta terça-feira aos 69.729 pontos, com alta de 9,66%. O índice, que alcançou o maior nível em uma semana, operou com alta acima de 10% durante quase toda a sessão, acompanhando as bolsas no exterior.

O dólar comercial encerrou o dia vendido a R$ 5,081, com recuo de R$ 0,058 (-1,12%). A cotação registrou queda durante toda a sessão. Na mínima do dia, por volta das 12h30, a moeda chegou a ser vendida a R$ 5,05.

A divisa acumula alta de 26,6% em 2020. Diferentemente dos últimos dias, o Banco Central (BC) não interveio no mercado. A autoridade monetária não vendeu dólares das reservas internacionais nem fez leilões de swap cambial, que equivalem à venda de divisas no mercado futuro.

Estados Unidos
Hoje, o Federal Reserve, Banco Central norte-americano, anunciou que comprará indefinidamente dívidas de empresas e emprestar recursos diretamente a empresas pelo tempo necessário. As perspectivas de fechamento de um acordo para o Congresso norte-americano aprovar o pacote de estímulos proposto pelo governo de Donald Trump também ajudaram o mercado. O índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, fechou o dia com alta de 11,37%, com o melhor desempenho diário desde 1933.

Pacote de medidas

No Brasil, o mercado continua a reagir à ajuda emergencial de R$ 88,2 bilhões para estados e municípios e à injeção de R$ 1,2 trilhão na economia anunciada ontem pelo Banco Central. A edição de medidas provisórias para flexibilizar a legislação trabalhista durante a crise aliviam a perda do valor de ações de diversas empresas.

Petróleo

A intensificação da guerra de preços do petróleo entre Arábia Saudita e Rússia deu uma trégua hoje. Os dois países estão aumentando a produção de barris, o que tem provocado uma redução na cotação do produto.

O barril do tipo Brent, que na semana passada atingiu o menor nível em 18 anos, voltou a subir hoje. Por volta das 18h, a cotação estava em US$ 27,71, com alta de 2,52%. As ações da Petrobras, as mais negociadas na bolsa, que ontem tinham caído cerca de 4%, dispararam. Os papéis ordinários (com direito a voto em assembleia de acionistas) valorizaram-se 15,92% nesta quinta. Os papéis preferenciais (com preferência na distribuição de dividendos) subiram 15,22%.

Economia

O índice Dow Jones – que mede a flutuação de valor das 30 maiores empresas dos Estados Unidos e que serve de referência para o mercado internacional de ações – registrou seu maior ganho percentual em um dia desde 1933 nesta terça-feira, depois que os legisladores dos Estados Unidos afirmaram estarem próximos de um acordo para um pacote de resgate econômico. A medida injetou uma dose de otimismo nos mercados, que se recuperam do maior movimento de vendas desde a crise financeira de 2008.

O Dow Jones subiu 11,37%, para 20.704,91 pontos, o S&P 500 avançou 9,38%, para 2.447,33 pontos e o Nasdaq Composite ganhou 8,12%, para 7.417,86 pontos.

*Com informações de Noel Randewich, da Agência Reuters.

Editor do Jornal Grande Bahia
Sobre Editor do Jornal Grande Bahia 1 Artigo
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]