Nos EUA, as concessionárias dão conselhos aos consumidores para suspender pagamento de empréstimos financeiros destinados a compra de veículos e realizar a recuperação do recurso financeiro para nova compra

Vista da cidade de Nova Iorque, nos EUA.

Vista da cidade de Nova Iorque, nos EUA. Concessionárias de veículos aconselham devolução de veículos antigos e recuperação do crédito pago, com a finalidade de compra de carro novo.

Reportagem de AnnaMaria Andriotis e Ben Eisen publicada neste sábado no The Wall Street Jornal (WSJ) que as concessionárias estão dando conselhos aos compradores de carros  para pararem de pagar  empréstimo financeiro do veículo. Os vendedores de carros estão dizendo aos tomadores de empréstimo que devolvam os carros antigos voluntariamente e negociem a compra de novos, neste processo, credores e mutuários estão perdendo.

A reportagem cita o caso de Joyce Parks. Ela estava tentando comprar sua Kia Soul quando, segundo ela, a concessionária onde ela comprou o veículo lançou uma ideia não convencional: Pare de fazer os pagamentos.

Parks, 63 anos, diz que os funcionários disseram que ela não podia negociar com o Soul, mas que ela poderia comprar outro carro. Para se livrar do veículo, a concessionária disse a ela, ela deveria pedir ao credor que a recuperasse, disse Parks.

A troca, em que um comprador devolve um carro a uma concessionária e o usa como crédito para outra, geralmente é uma etapa crucial na compra de carros. Mas algumas concessionárias estão dizendo aos compradores para devolver seus carros antigos aos credores – e vendê-los – em uma prática conhecida como “chutar o comércio”.

É difícil estimar com que frequência isso acontece. Veteranos de vendas de automóveis dizem que a prática é um segredo aberto em alguns showrooms. Em termos gerais, os veículos estão ficando mais caros e os americanos estão lutando para comprá-los. As concessionárias agora ganham mais dinheiro organizando financiamento do que vendendo veículos. Se um empréstimo de carro fica ruim, normalmente não é a concessionária no gancho – é o mutuário ou credor.

A Associação Nacional de Concessionárias de Automóveis disse que não há evidências que sugiram que o “chute do comércio” seja predominante. As concessionárias “não poderiam sustentar relacionamentos cuidadosamente cultivados” com os credores “se quisessem se envolver no tipo de comportamento alegado”, disse um porta-voz.

Os advogados dos consumidores dizem ter visto mais casos desse tipo. Cinco anos atrás, “acontecia duas ou três vezes por ano”, disse Daniel Blinn, advogado de Connecticut que processou concessionárias e concessionárias de automóveis. “Agora, ouvimos isso pelo menos uma vez por mês.”

A empresa de relatórios de crédito TransUnion calcula que quase 24 milhões de empréstimos para veículos nos EUA foram originados em 2018. Cerca de 300.000 desses veículos foram recuperados em 12 meses, um aumento de 17% em relação a 2014.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]