Feira de Santana em história: Efemérides de janeiro de 1977 | Por Adilson Simas

Registro de 1977 da fachada da Catedral Metropolitana de Sant’Ana (Igreja Matriz de Feira de Santana).

Registro de 1977 da fachada da Catedral Metropolitana de Sant’Ana (Igreja Matriz de Feira de Santana).

Colbert Martins era o prefeito tendo José Raimundo como vice. A câmara era integrada por 15 vereadores – 8 do MDB e 7 da Arena e tinha na presidência o emedebista Rubem Carvalho.

A cidade tinha três representantes na Câmara dos Deputados. O veterano arenista Wilson Falcão e os estreantes, João Durval Carneiro, também da Arena e o ex-vereador Noide Cerqueira, pelo MDB.

Feira estava com apenas dois representantes na Assembléia Legislativa. O arenista Augusto Matias da Silva e pemedebista Roque Aras. O professor Áureo de Oliveira Filho, o terceiro representante havia falecido no exercício do mandato, em 1976.

Iniciada mais uma festa da padroeira que na madrugada de domingo, 15, viu sair o Bando dos Olhos d’Água entoando “Salva, Senhora Santana”. O bando tinha 30 músicos e arrastou uma multidão de aproximadamente duas mil pessoas.

Naquele ano o secretário de Turismo Antônio Miranda, criou concurso para premiar as três barracas mais bem decoradas. A escolha foi feita por uma comissão formada pela jornalista Socorro Pitombo, o radialista Valter Vieira e o artista plástico Naílson Chaves.

O concurso foi vencido pelas barracas “Santo Antônio” de Damiana Bispo, “São Pedro” de Joana Maria dos Santos e “Sertaneja” de Izabel Maria Conceição em primeiro, segundo e terceiro lugares. Eterno campeão, Diva da barraca “Santana” não concorreu.

A barraca campeã, com decoração trabalhada em papel crepom e bolas de sopro multicoloridas, ganhou isenção da taxa de uso do solo e as outras duas pagaram apenas a metade da taxa. Os barraqueiros campeões também ganharam troféus.

Mesmo com a festa da padroeira sendo o assunto maior, os palhaços Didi, Dedé, Zacarias e Muçum continuavam enchendo o Cine Timbira com a comédia “Os Trapalhões nas Minas do Rei Salomão”. Tendo ainda uma semana para continuar em cartaz, o filme já batia recorde de bilheteria.

Alheio a Festa de Santana, o arquiteto Raimundo Torres embarcou com destino a João Pessoa para representar Feira em seminário promovido pela Universidade Federal da Paraíba e Secretaria de Tecnologia Industrial do Ministério da Indústria e Comercio. Torres era o Superintendente do CIS que naquela época era uma autarquia municipal.

Ao anunciar a instalação na Rua Sabino Silva do Colégio Anísio Teixeira, a imprensa destaca o acontecimento dizendo: “Ganha assim Feira de Santana um estabelecimento de ensino compatível com o seu progresso”.

Falando em colégio, o jornalista feirense Raimundo Lima, repórter da Tribuna da Bahia e Televisão Aratu aceita convite do colégio Superstar para ministrar aulas do curso de taquigrafia, garantindo utilizar estenografia, que é o método mais rápido de escrita manual de todo o mundo.

Depois da audiência com o prefeito Colbert Martins, o secretário de Serviços Urbanos, Eduardo Leal, anuncia para a imprensa as primeiras medidas visando equipar os diversos órgãos da secretaria, principalmente os departamentos de Iluminação, Limpeza e Parques e Jardins.

As colunas sociais dos dois jornais diários da cidade traziam no “roda pé” o mesmo comercial que dizia: “A mais bela galeria da cidade está surgindo na Avenida Senhor dos Passos”. Era a Galeria Marla, que segundo a nota tinha lojas e salas de fino acabamento para aluguel.

Ainda sobre crônica social, o colunista Eme Portugal registra que “O prefeito Colbert Martins e Beth receberam um mundo de gente para um churrasco comemorando a formatura de Colberzinho, em medicina”.

No futebol a principal notícia se referia a reunião do Conselho Deliberativo do Fluminense marcada para o dia 19, no Hotel Caroá, para a escolha do novo presidente do Clube que estava marcada para o dia 31 de dezembro, mas que foi adiada. Sobre o assunto o jornal “Feira Hoje” exibiu a seguinte manchete: “Quem quer o Flu?”

Na câmara o vereador Clóvis Lima condenou a demora na entrega das chaves das casas do conjunto construído pela Inocoop. E denunciou que o órgão, através da Cohafs, estava exigindo que os mutuários fizessem a ortoga de uma “Procuração por Instrumento Público”. A nota se referia ao Conjunto Milton Gomes.

Um ato simples, sem a presença de autoridades, marcou a posse no capitão Idalberto Pereira Matos no cargo de subcomandante do 1ºBPM/FS. Idalberto veio do batalhão Vitória da Conquista e nesta cidade substituiu Belmiro Santos.

No dia 17 foram abertas as inscrições para o curso supletivo do 2º grau turno da noite, nas escolas Oliveira Brito, Monteiro Lobato, Irmã Celina, João Marinho, Obra de Santana e na Capela de Nossa Senhora Aparecida, na Cidade Nova

Foram encerradas as inscrições de chapas para as eleições da Diretoria do Sindicato dos Empregados no Comercio de Feira de Santana. Apenas uma chapa, encabeçada por Délcio Mendes Barbosa, candidato a reeleição, foi inscrita na sede da entidade.

*Adilson Simas, jornalista, atua em Feira de Santana.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]