Documentário “Àkàrà, no fogo da intolerância” terá exibições com entrada gratuita, em Salvador

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Documentário será exibido na Sala de Arte da Ufba e Cineclube Antonio Pitanga.
Documentário será exibido na Sala de Arte da Ufba e Cineclube Antonio Pitanga.
Documentário será exibido na Sala de Arte da Ufba e Cineclube Antonio Pitanga.
Documentário será exibido na Sala de Arte da Ufba e Cineclube Antonio Pitanga.

Em tempos de intolerância religiosa e polarização política, sobrou até mesmo para um dos ícones mais tradicionais da culinária baiana: o acarajé. A iguaria corre o risco de perder o título de Patrimônio Histórico e Imaterial pela descaracterização da sua receita original e comercialização por pessoas de outros credos. É com base em relatos de baianas de acarajé e resgate de acontecimentos históricos que surge o documentário Àkàrà, no fogo da intolerância. O doc será exibido em dois dias, com entrada gratuita: quinta-feira (27/02/2020), na Sala de Arte da Ufba, às 19h e no sábado (29/02), no Cineclube Antonio Pitanga – Boca de Brasa Muncab, às 15 horas.

Sobre o doc

Em Àkàrà, no fogo da intolerância, três baianas de acarajé conduzem a narrativa, que conta também com a participação de líderes religiosos e especialistas, que discutem a intolerância praticada contra as religiões de matriz africana. “Fizemos um apanhado dos casos mais marcantes dos últimos anos, uma análise histórica partindo da perspectiva de quem sofre este tipo de violência e a relação com o racismo estruturante instaurado na sociedade”, explica a diretora Cláudia Chávez.

Mais do que uma mistura de feijão, camarão e dendê, o acarajé – do Iorubá, àkàrà (bola de fogo) e jé (comer) – é um prato ofertado em ritual religioso à Iansã, rainha dos raios, ventos e tempestades. “Pra gente, do terreiro, o acarajé é como se fosse a hóstia da igreja católica ou a Santa Ceia dos evangélicos. Porque é sagrado, é uma oferenda para um orixá, e um orixá lindo, que é Iansã”, afirma Rita Santos, presidente Nacional da ABAM e uma das personagens do filme.

Produzido pela Apus

Produtora de Conteúdo e a Obá Cacauê Produções, o projeto foi contemplado pelo Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e ANCINE para a grade do Canal Curta!, com estreia na TV ainda em 2020. A trilha sonora é assinada pelo maestro Letieres Leite e produção executiva de Fabíola Aquino. “Depois da pré-estreia, as expectativas passam pela participação em festivais e mostras de cinema, nacionais e internacionais, além de manter a discussão viva acerca do tema em apresentações públicas em Salvador e interior da Bahia”, conta Fabíola.

Participam do documentário Rita Santos, presidente da ABAM; Cida Abreu, militante do Movimento Social Negro Brasileiro; Jaciara Ribeiro, yalorixá do Abassá de Ogum; Walmir França, militante do Movimento Negro; professor doutor Jaime Sodré; Vilma Reis, socióloga; professor doutor Hélio Santos; Anne Rodriguez, socióloga; pastor Djalma Torres, líder religioso e as baianas de acarajé Cida, Liu e Dadai.

Ficha técnica

Direção e Roteiro: Claudia Chávez

Produção Executiva: Fabíola Aquino

Direção de Fotografia: Marcelo Pinheiro

Som Direto: Regivan Santa Bárbara

Finalização de Áudio: Nuno Penna

Trilha Sonora: Letieres Leite

Direção de Arte e Design: Bruno Biano

Montagem: Claudia Chávez

Finalização de Cor e CG: Marcelo Pinheiro

Pesquisa: Vagner Rocha

Assistente de Produção: Hamilton Oliveira

Agenda

O que: Exibições do documentário Àkàrà, no fogo da intolerância

Quando: quinta-feira (27/02), às 19 horas, na Sala de Arte da Ufba (Vale do Canela); e sábado (29/02), às 15 horas, no Cineclube Antonio Pitanga, Boca de Brasa Muncab – Centro Histórico.

Entrada gratuita

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 123164 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.