Augusto Aras, procurador-geral da República, argumenta que não é possível que o ex-governador Sérgio Cabral, firme acordo de delação, ao mesmo tempo em que continua a praticar crime, no caso, a ocultação de bens. Ele destaca, também, que o ex-mandatário foi condenado em segunda instância por lavagem de dinheiro.
Caso Lava Jato

PGR recorre da homologação do acordo de colaboração do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral; Ocultação de patrimônio ilícito é continuidade delitiva, argumenta Augusto Aras

O procurador-geral da República, Augusto Aras, enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta terça-feira (11/02/2020) embargos de declaração contra decisão que homologou o acordo de colaboração premiada firmado pelo ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio