Líder supremo do Irã diz que ataques aos EUA mostram “mão de Deus”

Líder Supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, profere discurso durante orações em Teerã.

Líder Supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, profere discurso durante orações em Teerã.

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, disse nesta sexta-feira (17/01/2020) que os ataques com mísseis contra alvos norte-americanos no Iraque mostraram que sua nação tinha apoio divino para dar um “tapa” em uma potência mundial.

Ao participar do principal sermão da semana em Teerã pela primeira vez desde 2012, com o Irã e seus governantes sob pressão em casa e no exterior, Khamenei também disse que as sanções impostas pelos EUA em represália ao programa nuclear iraniano não farão o país se render.

Milhares de pessoas se reuniram no interior de um grande espaço de oração e lotaram as ruas ao redor, cantando “Morte à América”.

     “O fato de o Irã ter o poder de dar um tapa em uma potência mundial mostra a mão de Deus”, afirmou Khamenei, acrescentando que o assassinato de Qassem Soleimani, comandante da Força Quds, em um ataque de drone dos EUA, mostrou a “natureza terrorista” de Washington.

O presidente norte-americano, Donald Trump, ordenou o ataque por drone que matou Soleimani, responsável por formar milícias na região.

Depois de dias negando, o Irã admitiu em 11 de janeiro que um de seus operadores de defesa aérea abateu por engano um voo da Ukraine Airlines International, que havia decolado de Teerã pouco após o lançamento de mísseis do Irã contra as forças dos EUA.

O aiatolá descreveu o acidente como uma tragédia e um episódio muito triste usado pelos “inimigos” do Irã, termo usado para descrever os Estados Unidos e seus aliados, para ofuscar a morte de Soleimani, cujo funeral atraiu multidões pelas ruas.

¨Com informações de Parisa Hafezi e Babak Dehghanpisheh, da Agência Reuters.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).