Fiscalização do PROCON de Feira de Santana coíbe vendas de livros novos e do professor na Feira do Livro

Fiscalização do Superintendência Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor esteve na Feira do Livro logo depois de iniciada as vendas nas 22 montadas no estacionamento da Prefeitura.
Fiscalização do Superintendência Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor esteve na Feira do Livro logo depois de iniciada as vendas nas 22 montadas no estacionamento da Prefeitura.
Fiscalização do Superintendência Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor esteve na Feira do Livro logo depois de iniciada as vendas nas 22 montadas no estacionamento da Prefeitura.

A fiscalização do Superintendência Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-FSA), autarquia do Governo Municipal, esteve na Feira do Livro na manhã desta terça-feira (07/01/2020), logo depois de iniciada as vendas nas 22 barracas que neste ano foram montadas no estacionamento da Prefeitura.

“A gente observa se os livreiros estão vendendo volumes novos ou aqueles usados pelos professores em sala de aula”, disse o coordenador da fiscalização, Camilo Cerqueira.

Ele comentou que os fiscais foram à Feira pela segunda vez, apurar denúncias, mas que nada de ilegal foi contatado. Estava acompanhado pelos fiscais Adomilson Nascimento e Dilma Ferreira.

Camilo Cerqueira disse que o trabalho realizado é preventivo e que a coordenação da feira realiza um trabalho de conscientização dos livreiros, com relação a proibição deste tipo de venda.

Nesta segunda-feira, dezenas de mães, pais e responsáveis, com listas nas mãos, foram às compras. “A gente busca livros em boas condições físicas e a preços baixos”, disse Cilene Santos Conceição, mãe de um aluno.

Está comum vir pessoas de outros municípios na feira. Adna Pacheco, que mora em Coração de Maria, comprou livros para o filho que vai cursar o terceiro ano. “Procurei e encontrei volumes em bom estado a preços ótimos”.

A economia varia de 30% a 60%, quando comparados preços vistos na feira com os que são praticados nas livrarias.  A iniciativa conta com o apoio do Governo do prefeito Colbert Martins Filho.

Feira do Livro: exigência da BNCC pode afetar vendas, temem livreiros

Aberta nesta terça-feira, 7, a décima terceira edição da Feira do Livro Didático, entre os vendedores, foi iniciada com misto de esperança e preocupação. Vendas, compras e trocas acontecerão até a sexta-feira que antecede o Carnaval, no estacionamento da Prefeitura, na avenida Getúlio Vargas.

Nutrir esperança de boas vendas, nem sempre confirmadas – os vendedores reclamam de redução na demanda nos últimos anos, é uma maneira de manter em alta as expectativas e ver positivamente as negociações que iniciaram.

A preocupação, que pode prejudicar nas vendas, diz um dos coordenadores da feira, Glauber Lira, é com relação à BNCC (Base Nacional Comum Curricular), obrigatória para as séries iniciais a partir deste ano – mas foram indicadas no ano passado. Serão poucos estes livros nas bancas, portanto.

O objetivo da BNCC é garantir aos estudantes o direito de aprender um conjunto fundamental de conhecimentos e habilidades comuns – de norte a sul, nas escolas públicas e privadas, urbanas e rurais de todo o país. A exigência não se aplica, ainda, ao ensino médio – se torna obrigatória a partir de 2022, quando as turmas atuais concluem a etapa.

Como não tem livros com o selo da BNCC nos estoques, diz o coordenador da feira, as vendas para o ensino fundamental poderão ser diretamente afetadas porque as edições são recentes. “Acredito que apenas não teremos problemas com os paradidáticos”.

As escolas estão em transição para a BNCC, diz o vendedor Sisinho Santos Almeida. “Grande parte das listas vem com a informação que é BNCC, com novo conteúdo”. As projeções indicam gastos maiores por parte dos pais na compra dos livros dos filhos.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 120515 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.