2019 foi o segundo ano mais quente de todos os tempos e haverá clima mais extremo à frente, diz OMM

Imagem do platô tibetano mostrando o lago Gozha e as geleiras das montanhas, registrada a partir da Estação Espacial Internacional.Imagem do platô tibetano mostrando o lago Gozha e as geleiras das montanhas. Aquecimento global compromete bioma do planeta.
Imagem do platô tibetano mostrando o lago Gozha e as geleiras das montanhas, registrada a partir da Estação Espacial Internacional.

Imagem do platô tibetano mostrando o lago Gozha e as geleiras das montanhas. Aquecimento global compromete bioma do planeta.

O ano de 2019 foi o segundo mais quente desde o início dos registros, informou a Organização Meteorológica Mundial (OMM) na quarta-feira, alertando que o calor provavelmente levará a eventos climáticos mais extremos, como os incêndios florestais australianos em 2020 e além.

Os dados da OMM com sede em Genebra analisam vários conjuntos de dados, incluindo a Nasa e o serviço nacional de meteorologia do Reino Unido. Ele mostrou que a temperatura global média em 2019 estava 1,1 grau Celsius acima dos níveis pré-industriais.

“A Austrália teve o ano mais quente e seco já registrado em 2019, estabelecendo o cenário para os enormes incêndios florestais que foram tão devastadores para pessoas e propriedades, vida selvagem, ecossistemas e meio ambiente”, disse o secretário-geral da OMM, Petteri Taalas.

“Infelizmente, esperamos ver muito clima extremo ao longo de 2020 e nas próximas décadas, alimentado por níveis recordes de gases de efeito estufa que retêm o calor na atmosfera.”

O ano mais quente já registrado foi em 2016, disse a OMM, devido ao impacto do aquecimento de um forte evento de El Niño.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]