Senhor do Bonfim: Encontro com Agentes Comunitários Rurais reflete impacto das inovações sociais nas comunidades

Encontro com Agentes Comunitários Rurais reflete impacto das inovações sociais nas comunidades.
Encontro com Agentes Comunitários Rurais reflete impacto das inovações sociais nas comunidades.
Encontro com Agentes Comunitários Rurais reflete impacto das inovações sociais nas comunidades.
Encontro com Agentes Comunitários Rurais reflete impacto das inovações sociais nas comunidades.

A participação mais efetiva de mulheres e jovens rurais nas atividades do Pró-Semiárido foi um dos destaques apontados pelos Agentes Comunitários Rurais (ACRs), no encontro de avaliação, realizado entre os dias 02 e 06 de dezembro de 2019, no Centro Diocesano em Senhor do Bonfim.

Durante o encontro, foram relatadas as principais inovações sociais e seus impactos para a vida dos beneficiários do projeto, a exemplo da participação maior de mulheres em grupos de interesse de criação de caprinos e abelhas; interação entre as comunidades, representação feminina nos espaços de decisão e inserção e interesse dos jovens em participar das atividades.

Para a assessora de políticas públicas do Pró-Semiárido do Serviço Territorial de Apoio à Agricultura Familiar (Setaf) de Juazeiro, Jussara Oliveira, a inserção dos ACRs como apoiadores das atividades do projeto tem contribuído para o sucesso da ação, dentre outros motivos, pela valorização da juventude que vive nas comunidades assessoradas: “O trabalho dos ACRs, que são filhos e filhas de agricultores, é uma inovação para o Estado da Bahia. Eles são os porta-vozes das comunidades porque sabem e falam a mesma língua das comunidades”.

O grupo refletiu também sobre temáticas como agroecologia, tecnologias sociais, comercialização de produtos, meio ambiente, equidade de gênero, fortalecimento organizacional, entre outros. “O Pró-Semiárido tem que ser o incentivo para que as comunidades caminhem com seus próprios passos. Se os jovens não assumirem, desde já, não teremos como garantir o fortalecimento organizacional das nossas comunidades e o Pró-Semiárido é esta semente”, explicitou o ACR Vilson Bispo, da comunidade Fazenda Alegre, município de Itiúba.

Além das inovações e das temáticas, o encontro realizado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), no âmbito do projeto Pró-Semiárido, que tem financiamento do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida), destacou ainda a importância dos intercâmbios como processos metodológicos de construção e valorização dos saberes.

O Encontro Geral dos Agentes Comunitários está na sua sexta edição. “Chegou o momento de valorizar o intercâmbio, pois ele é um instrumento importante de capacitação. É aquela velha história, uma imagem vale mais do que mil palavras. Se deslocar, ver, experimentar faz toda diferença”, ressaltou Samuel Lyra, subcoordenador de capital humano e social do Pró-Semiárido e organizador do evento.

Troca de saberes

Os ACRs tiveram a oportunidade de visitar uma propriedade familiar, em Grota da Mata, município de Campo Formoso e trocar experiências sobre as tecnologias utilizadas pela família, a exemplo do Sistema Agroflorestal (SAF), que dentre outras técnicas, utiliza matérias mortas para forrar o pasto, formando uma camada de proteção e fornecendo nutrientes ao solo. Esta técnica substitui as queimadas para formação de pastagem, ainda comuns no Semiárido.  “Vou promover rodas de aprendizagem para dividir o conhecimento que absorvi. Aos poucos, vamos mudando o pensamento dos agricultores, provar que não precisam fazer queimadas e que há outras possibilidades”, afirmou Edinei Antunes, que atua com ACR nas comunidades Suvela, Mandú, Vila Aparecida e Pimenteira, no munícipio de Remanso.

Em Massaroca, comunidade rural de Juazeiro, o sistema produtivo para beneficiamento de ovos surpreendeu o grupo que escolheu o tema “Tecnologias Sociais”. A agroindústria instalada na comunidade já fornece 1200 ovos diariamente e a meta é chegar a 2500. Os ACRs conheceram todas etapas do processo, desde a coleta dos ovos nos quintais até a comercialização. “Eu tinha a preocupação de como orientar as comunidades sobre o escoamento da produção de ovos, pois o Pró-Semiárido já instalou 48 viveiros na minha região e precisamos incentivar os agricultores e agricultoras a agregar valor e dar saída à produção”, pontuou Clécia Almeida, ACR do município de Jacobina.

Os ACRs conheceram ainda os manejos adotados na avicultura, caprinocultura, bovinocultura, suinocultura, curtinocultura, cunicultura, a produção de ração, além da agroindústria do Instituto Federal Baiano (IFBA), em Senhor do Bonfim; os agentes visitaram também a feira orgânica e agroecológica instalada na cidade e organizada por agricultoras e agricultores do município.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 111158 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]