PSB cobra solução para aumento dos casos de feminicídio na Bahia

Elitânia de Souza da Hora foi vítima de feminicídio.

Elitânia de Souza da Hora foi vítima de feminicídio.

Mais uma vítima e os números de feminicídio só aumentam na Bahia. O último caso registrado, foi o da jovem quilombola e estudante de Serviço Social, Elitânia de Souza da Hora, de 25 anos, morta a tiros pelo ex-namorado, no município de Cachoeira, recôncavo baiano.

De acordo com o Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos (Caodh), até setembro de 2019, 117 mulheres foram mortas. Ainda segundo dados do Caodh, em 2018 o número de mulheres assassinadas em todo o ano, chegou a 134 casos registrados. E em 2017, foi inferior, chegando a 108 ocorrências. Os dados são retirados do Sigip – sistema que registra as operações policiais na Bahia.

Com o aumento expressivo do número, as parlamentares e representantes do Partido Socialista Brasiliero (PSB) na Bahia, se pronunciaram em suas redes sociais:

“Mais um caso de feminicídio no interior da Bahia. Desta vez, o assassinato ocorreu em Cachoeira. Fui acionada pela vereadora Cristina que está dando todo o apoio aos familiares da vítima e entrarei em contato com a secretária Fabya (Reis), da SPM. Cheguei a apresentar o projeto de uma emenda, mas o município não tem um núcleo de combate à violência contra a mulher, o que é lamentável. Esperamos que a Justiça aja com rigor e o culpado seja punido. Meus sentimentos a toda a família de Elitânia. Vamos continuar mobilizadas e cobrando soluções do Poder Público”, reforçou a deputada federal, Lídice da Mata, que defende o aumento do número de delegacias em todo o estado.

No município de Serrinha, o femínicio foi um dos temas abordados no Seminário de Formação Política para Mulheres Socialistas. A região é campeã no número de casos de feminicídio registrados. A secretária estadual de Mulheres do PSB Bahia, Luciana Cruz, comentou o fato. “Nós da Secretaria de Mulheres repudiamos veemente o que aconteceu em Cachoeira. Não é um fato isolado. Não é uma questão de que não estamos atentas aos casos de feminicídio ocorridos em nosso estado. Nós repudiamos toda e qualquer forma de violência contra as mulheres”, atestou.

A deputada estadual Fabíola Mansur também lamentou o ocorrido. “Me dói toda vez que preciso vir as redes sociais me manifestar sobre mais um caso de feminicídio. Me dói ver que mulheres continuam sendo violentadas e mortas diariamente. A tristeza não cabe em mim. Ontem à noite recebemos a notícia de que a jovem Elitânia de Souza, estudante da UFRB, foi morta a tiros em Cachoeira pelo seu ex-namorado, que segue foragido. Até quando? Vamos lutar para que esse criminoso pague pelo que fez. Seguimos na luta por justiça. #ElitâniaPresente”.

A vereadora de Cachoeira, Cristina Soares, que prestou apoio aos familiares da vítima, se manifestou em sua rede social. “Fomos surpreendidos, na noite de ontem (quarta-feira), com o bárbaro crime da jovem, mulher, negra, quilombola, a estudante Elitania de Souza. Cala-se uma voz, interrompe-se uma vida, desestrutura-se uma família… É preciso que ergamos nossa voz contra esse crime de feminicidio em nossa Cidade. Minha solidariedade aos familiares e amigos.
Queremos justiça! Queremos paz! Diga NÃO ao FEMINICIDIO!”, concluiu.

O assassinato

Elitânia de Souza da Hora (25 anos) foi assassinada na quarta-feira (27/11/2019). A vítima possuía medida protetiva contra o ex-namorado, concedida pela Justiça em Cachoeira. E uma outra medida chegou a ser solicitada na comarca de São Félix, quando Elitânia morou com o acusado. Conforme a Lei Maria da Penha, a medida protetiva deve começar a valer em até 48 horas do pedido. Até a manhã desta sexta-feira (29), o acusado ainda estava foragido.

José Alexandre Passos Góes Silva, 34 anos, foi identificado como possível assassino da estudante e teve o mandado de prisão por feminicídio cumprido pela Polícia Civil, na tarde de sexta-feira (29). A informação foi revelada pelo delegado João Matheus, titular da Delegacia Territorial (DT), de Cachoeira, responsável pela investigação do crime.

Acompanhado de um advogado, Alexandre, que é filho de um juiz aposentado, apresentou-se espontaneamente, no início da tarde desta sexta em uma delegacia de Feira de Santana, cidade vizinha, mas deverá ser conduzido para Cachoeira, onde será interrogado pelo delegado João Matheus.

Elitânia foi baleada quando chegava em casa, por volta das 22h40, no bairro Currais Velhos, em Cachoeira. Alexandre não aceitava o fim da relação e fugiu do local após o crime. Equipes da DT/Cachoeira ouviram testemunhas e realizaram buscas, no intuito de localizar o criminoso.

A universitária era estudante do 7º semestre do curso de Serviço Social e foi assassinada às 22h50 desta quarta-feira (27), após deixar a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) na Rua do Fogo, que fica perto da instituição, no Centro da cidade, a pouco metros onde morava com uma amiga num apartamento. Nos finais de semana, ela tinha o hábito de ficar com a família, que mora na Fazenda Guaíba, no Quilombo Tabuleiro da Vitória, na zona rural de Cachoeira.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]