América Latina: 27 milhões de pessoas pobres a mais do que em 2014 | Por Sérgio Jones

Em 25 de outubro 2019, milhares de manifestantes lotaram as ruas de Santiago, Chile, em protesto contra o governo neoliberal de Sebastián Piñera.

Em 25 de outubro 2019, milhares de manifestantes lotaram as ruas de Santiago, Chile, em protesto contra o governo neoliberal de Sebastián Piñera.

De acordo com índices apontados por setores especializados, a elevação da pobreza e as suas consequentes misérias têm se alastrado de forma endêmica em todo continente da América Latina. A elevação dos índices sofreu uma brusca mudança a partir de 2015.

Isso ocorreu depois de um breve recuo na América Latina e no Caribe em seus índices na queda da extrema miséria existente, no início desta década, na sequência veio o retrocesso. O mais crível em todo este ato sinistro é que a dinâmica de empobrecimento deverá continuar crescendo de forma exponencial.

O ano de 2019 encerra com uma alta significativa de sete décimos no índice geral de pobreza – que de 30,1% passará a afetar 30,8% da população, segundo os dados publicados recentemente, pela Cepal (Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe), o braço das Nações Unidas para o desenvolvimento no subcontinente – e de oito décimos em sua variável extrema – a mais premente, que sobe de 10,7% para 11,5%.

Especialistas apontam também ser esta uma situação muito preocupante que poderá resultar em significativo aumento da violência, maior complexidade da migração, provocar profundas transformações na demografia e no mercado de trabalho. Entre outros males que resultarão em profundos e danosos impactos sociais.

Tais índices se traduzem e representam a inclusão cerca de seis milhões de pessoas que passarão a engrossar as filas da pobreza extrema este ano, um grupo que crescerá até os 72 milhões. A pobreza geral no mundo aumenta em idêntica quantia: 191 milhões, frente aos 185 do estudo passado. A gravidade do dado cresce ao aumentar o período de cálculo: se cumprirem-se as estimativas, a região fechará 2019 com 27 milhões de pessoas pobres a mais que em 2014. Quase todas elas – 26 milhões – em situação de carestia extrema. Se tornando em um dos maiores flagelos da humanidade, em especial na América Latina.

*Sérgio Jones ([email protected]), jornalista.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]