SEMA Bahia participa de Encontro Nacional do Programa Água Doce

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Participantes do VIII Encontro Nacional de Formação do Programa Água Doce.
Participantes do VIII Encontro Nacional de Formação do Programa Água Doce.
Participantes do VIII Encontro Nacional de Formação do Programa Água Doce.
Participantes do VIII Encontro Nacional de Formação do Programa Água Doce.

Durante três dias (27 a 29/11/2019), representantes de órgãos federais, estaduais e municipais, organismos internacionais, empresas que atuam no tema da dessalinização, organizações da sociedade civil e agentes comunitários, participaram do VIII Encontro Nacional de Formação do Programa Água Doce -PAD, em Natal, no Rio Grande do Norte. O encontro teve como objetivo fortalecer a integração das diversas instituições envolvidas na execução do programa, além de capacitar os técnicos dos núcleos estaduais e representantes dos municípios e comunidades para a gestão dos sistemas de dessalinização. A coordenação estadual do PAD na Bahia apresentou o Plano Estadual do Programa Água Doce (2020-2029) para implementação da segunda fase do programa.

A Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) iniciam a formalização de um novo convênio junto ao Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR), com a proposta de instalação de mais 400 dessalinizadores, um investimento na ordem de R$ 170 milhões. “Após a finalização da primeira fase do programa, com a implantação de 295 sistemas de dessalinização no semiárido baiano, nossa proposta agora é universalizar o acesso à água de consumo humano nos 56 municípios já beneficiados pelo programa, garantindo cobertura total, e, além disso, ampliar para novas localidades”, afirmou o secretário do Meio Ambiente, João Carlos Oliveira, que esteve presente na abertura do evento.

Para a coordenadora do PAD na Bahia e técnica da Sema, Luciana Santa Rita, o programa é um marco na política pública de acesso à água de qualidade para consumo humano. “Dos 400 sistemas a serem implantados na segunda fase do programa, 10 deles serão na modalidade Unidade Demonstrativa (UD), que além de oferecerem água para o consumo, possibilitam ainda agregação de renda às famílias beneficiadas. As unidades ou sistemas produtivos estarão interligados com criatórios de peixes, ou camarão, e ao cultivo de plantas de uso econômico, estabelecendo assim um ciclo de produção ambientalmente sustentável”, afirmou Santa Rita, acrescentando que todos os sistemas da segunda fase contarão com energia solar, o que irá incorporar comunidades que não poderiam ser contempladas no PAD por não ter acesso ao fornecimento de energia tradicional, ou pela própria instabilidade da rede em determinadas localidades.

O representante da comunidade de Santo Antônio da Barra, no município de Monte Santo – Ba, Antônio Ribeiro Neto, relatou sua experiência de agente comunitário de saúde antes e depois da implantação do sistema de dessalinização em seu povoado. “Era comum crianças e idosos apresentarem quadros constantes de diarréia, e uma grande quantidade de vermes nos exames realizados. Hoje a gente já percebe a diferença e essas doenças de veiculação hídrica nem são lembradas pelas famílias que consomem a água dos dessalinizadores,” afirmou Antônio. Os benefícios para a saúde da população também foram ressaltados pela engenheira ambiental do município de Canudos – Ba, Thais Andrade. “O sistema tem essa potencialidade de garantir qualidade de vida para essas famílias. Desde o primeiro dia do evento já pudemos perceber que sairão daqui multiplicadores capacitados e qualificados para a gestão do programa”, disse Andrade.

Nesta segunda fase, além da Sema e da Companhia de Engenharia Hídrica e de Saneamento da Bahia (Cerb), também será incorporada à gestão do programa na Bahia, a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), para manutenção e monitoramento dos sistemas. “A Bahia por vários anos vem se aperfeiçoando na gestão do PAD em seu território. O convênio do MDR com a Sema e a Cerb, que possui uma equipe técnica altamente qualificada, agora será expandido para incorporar a CAR, o que será um desafio e ao mesmo tempo uma estratégia muito interessante. Assim, esses três órgãos, com experiência e histórico no programa, nos garante que a Bahia também consolida o PAD como política pública de acesso à água de qualidade”, afirmou Renato Saraiva, diretor de Recursos Hídricos e Revitalização de Bacias Hidrográficas do Ministério.

Água Doce – O PAD é uma ação do Governo Federal, coordenada pelo Ministério do Desenvolvimento Regional em parceria com instituições federais, estaduais, municipais e sociedade civil. A iniciativa visa estabelecer uma política pública permanente de acesso à água de qualidade para o consumo humano por meio do aproveitamento sustentável de águas subterrâneas, incorporando cuidados técnicos, ambientais e sociais na implantação e gestão de sistemas de dessalinização no semiárido brasileiro, levando-se em consideração a característica da presença de sais nas águas subterrâneas desta região.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113711 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]