Reformulado, Grupo Globo de Comunicação projeta se tornar ‘media tech’

Jorge Nóbrega é diretor-presidente do Grupo Globo. O Grupo Globo terá uma nova estrutura a partir de janeiro de 2020. Segundo comunicado, TV Globo, Globosat, Som Livre, Globo.com, Globoplay e DGCorp vão se juntar em uma nova empresa que receberá o nome Globo.

Jorge Nóbrega é diretor-presidente do Grupo Globo. O Grupo Globo terá uma nova estrutura a partir de janeiro de 2020. Segundo comunicado, TV Globo, Globosat, Som Livre, Globo.com, Globoplay e DGCorp vão se juntar em uma nova empresa que receberá o nome Globo.

Reportagem de João Luiz Rosa, publicada na sexta-feira (08/11/2019), no Jornal Valor econômico, revela que O Grupo Globo, maior conglomerado de mídia do país, tem um novo modelo de gestão de negócios. O desenho reformulado, que se tornará efetivo em janeiro de 2020, vai reunir TV Globo, Globosat, Som Livre, Globo.com e Globoplay em uma única empresa, que se chamará Globo. A diretoria de gestão corporativa, ou DGCorp, também está incluída no trabalho de unificação. As mudanças são decorrência do projeto UmaSóGlobo, iniciado em setembro do ano passado com o objetivo de preparar o grupo para o cenário da competição digital.

“Essa estrutura é a forma de adequar o jeito com que vamos operar à estratégia que já havíamos definido. O que fizemos foi adaptar o modelo operacional, incluindo os processos, a governança e a estrutura da empresa, à estratégia de ser uma companhia voltada ao consumidor, com diversos produtos digitais”, diz Jorge Nóbrega, presidente executivo do Grupo Globo. “Esse campo, o do relacionamento direto com o consumidor, exige novas competências da empresa.”

Os modelos tradicionais de TV não davam à Globo a possibilidade de contato direto com o consumidor final, que se tornou essencial na era digital, diz Nóbrega. Na TV aberta, o sinal de radiodifusão não permite essa interface; e na TV paga, os clientes são das operadoras de serviços, não dos criadores de conteúdo. Com a mudança de comportamento do público, que ganhou mais poder de decisão do que quer ver, o objetivo da Globo é tornar-se uma “media tech”, com foco tanto na produção de conteúdo como em tecnologias que permitam fazer ofertas de conteúdo mais adequadas ao público, com base em suas preferências.

As mudanças na Globo foram apresentadas por Nóbrega a 45 diretores na sexta-feira, no Rio de Janeiro. “Eles já começaram a se reunir com suas respectivas equipes”, afirma o presidente do grupo. Sob o desenho administrativo reformulado, onze pessoas vão responder diretamente a ele. “É bastante, mas menos que o número atual, porque estávamos sob um modelo híbrido”, afirma.

Toda a criação e produção de conteúdo — incluindo entretenimento, esporte e jornalismo — ficará concentrada sob a responsabilidade de Carlos Henrique Schroder. A orientação editorial do jornalismo continuará sendo exercida pelo Conselho Editorial do grupo, com a participação de Ali Kamel, diretor de jornalismo.

Paulo Marinho responderá pela TV Globo, com a gestão da rede de afiliadas e o portfólio dos canais de TV por assinatura, enquanto Erick Brêtas vai gerir as iniciativas digitais, como Globoplay, G1 e a “home” do portal Globo.com. A área de publicidade ficará sob a direção de Eduardo Schaeffer e a de estratégia e tecnologia será conduzida por Rossana Fontenele.

“Antes, cada empresa funcionava de maneira completa. Com a nova estrutura, todo mundo passa a depender de todo mundo”, diz Nóbrega. “É uma maneira mais moderna e ágil de trabalhar.”

Marcas como Globosat, que estão ligadas a empresas que deixarão de existir, tendem a desaparecer. As que estão relacionadas a produtos e serviços devem ser mantidas. É o caso de Globo.com, que deixará de ser uma empresa, mas permanecerá como portal de internet.

Com as alterações, o Grupo Globo passará a ser composto pela Globo unificada e outras três empresas. A Editora Globo, que edita o Valor, continuará sob a direção de Frederic Kachar, com gestão independente da nova estrutura, se reportando a Nóbrega. O Sistema Globo de Rádio será conduzido por Marcelo Soares, que acumula o cargo com a direção da Som Livre. Roberto Marinho Neto assumirá a liderança da Globo Ventures, na qual será responsável pelos investimentos diretos dos acionistas em novos negócios.

O projeto UmaSóGlobo, que conta com consultoria da Accenture, já tem mostrado resultados, diz Nóbrega. Em outubro, a companhia bateu recorde comercial para esse mês nos últimos quatro anos, devido, principalmente, a formatos de publicidade criados recentemente e novos produtos. No mês passado, também, o serviço de streaming Globoplay atingiu a meta anual de assinantes, antecipando uma marca prevista originalmente para dezembro.

A Globo planeja investir R$ 1 bilhão no Globoplay e em novas tecnologias em 2020, diz Nóbrega. A estimativa é que o número de assinantes do serviço de streaming cresça cerca de 80% no ano que vem. Há oportunidades diferentes para o Globoplay em relação a competidores como Netflix e Amazon Video. Essas empresas têm alcance global, mas estão concentradas em séries, enquanto a Globo pode agregar conteúdo diferente aos usuários brasileiros, como esportes e jornalismo, afirma o executivo.

Uma parte essencial dessa estratégia é o Globo ID, sistema de identidade digital que serve de porta de entrada para todos os serviços digitais da companhia. “O sistema é central nessa nova configuração porque nos mostra a jornada do consumidor”, diz Nóbrega. A base de dados padronizada, que permite segmentação mais precisa, já conta com 50 milhões de usuários.

O esforço de transformação digital não implica perda de importância da TV aberta. “A tecnologia vai favorecer [a radiodifusão]”, afirma Nóbrega. Até 2023, todos os novos aparelhos de TV terão conexão à internet porque os fabricantes deixarão de produzir os equipamentos sem essa função. Com o avanço da banda larga, estará aberto um caminho novo, com a possibilidade de transmitir anúncios publicitários para pessoas diferentes durante o mesmo intervalo comercial. A tecnologia já está em teste na Globo.

Programa UmaSóGlobo alia tecnologia e dados a conteúdos

O Grupo Globo terá uma nova estrutura a partir de janeiro de 2020. Segundo comunicado divulgado nesta sexta-feira, TV Globo, Globosat, Som Livre, Globo.com, Globoplay e DGCorp vão se juntar em uma nova empresa que receberá o nome Globo.

A nova estrutura, comunicada hoje ao mercado pelo presidente do Grupo Globo, Jorge Nóbrega, “é resultado da estratégia de transformação digital da Globo, iniciada em setembro de 2018, com o programa UmaSóGlobo”. O programa UmaSóGlobo alia tecnologia e dados a conteúdos gerados por diversas plataformas e empresas do grupo, com foco no comportamento do consumidor.

A Globo, segundo o comunicado, vai centralizar a criação e produção de conteúdos de forma separada dos canais e serviços, agrupará os negócios digitais em uma única área, concentrará as expertises corporativas em núcleos de competência para apoio a toda a empresa e buscará parcerias para explorar novos segmentos de negócio, relacionados a seus ecossistemas.

“A marca Globo como a conhecemos hoje, sinônimo de TV aberta, passa a dar nome a uma empresa nova, ampliada, integrada e orientada a novos desafios e oportunidades. Estamos transformando nossos negócios atuais e desenvolvendo novos. A experiência digital mudou muito a maneira como o público consome mídia, conteúdos e serviços, e nós mudamos junto. O investimento que estamos fazendo em novas tecnologias e modelos de negócio não implica abandonar as nossas forças tradicionais. Nossa estratégia amplia a força da televisão, ao unir TV aberta e TV fechada às oportunidades digitais, com o consumidor no centro do negócio”, disse Nóbrega.

A nova estrutura que o Grupo Globo terá a partir de janeiro reorganiza os comandos de diversas áreas de negócios do maior grupo de comunicação do país. Segundo comunicado, Paulo Marinho, à frente de “Canais Globo”, responderá pela TV Globo, pela gestão de sua rede de afiliadas e pelo portfólio dos canais de televisão por assinatura.

A área de “Criação & Produção de Conteúdo” será liderada por Carlos Henrique Schroder, que vai comandar a criação e produção, para todas as plataformas, de conteúdos de entretenimento, esporte e jornalismo. “A orientação editorial do jornalismo da empresa continuará sendo exercida pelo Conselho Editorial do Grupo Globo, que conta com a participação de Ali Kamel, diretor de Jornalismo da Globo”, diz o comunicado.

A divisão de “Produtos & Serviços Digitais” estará a cargo de Erick Brêtas, que vai gerir o portfólio de “iniciativas digitais”.

A venda de publicidade fica sob o comando de Eduardo Schaeffer.

A aquisição de diversos tipos de direitos necessários à produção audiovisual, principalmente em esporte e entretenimento, fica sob a direção de Pedro Garcia.

Rossana Fontenele vai responder pela área “Estratégia & Tecnologia”, propondo negócios, parcerias e alinhamento estratégico. A área de tecnologia será chefiada pela executiva.

A divisão “Marca & Comunicação” terá Sergio Valente à frente.

A divisão “Finanças, Jurídico & Infraestrutura” será comandado por Manuel Belmar. Claudia Falcão vai liderar a área de “Recursos Humanos”. Paulo Tonet ficará com “Relações Institucionais”.

Marcelo Soares estará à frente da gravadora Som Livre, acumulando essa função com a gestão do Sistema Globo de Rádio.

“A Editora Globo, sob a direção geral de Frederic Kachar, permanecerá com gestão independente da nova estrutura Globo, se reportando a Jorge Nóbrega”, segundo o comunicado.

Roberto Marinho Neto assumirá a liderança da Globo Ventures, saindo do comando do Esporte. O executivo será “responsável pelos investimentos diretos dos acionistas em novos negócios, mantendo uma relação constante de proximidade e atuação articulada com a Globo [a nova empresa]”.

“O modelo que apresentamos é um passo muito importante em nossa jornada de transformação. Escolhemos nos organizar por produtos e serviços – lineares, digitais e publicitários – e não por gêneros de conteúdo, permitindo um olhar de portfólio multigênero e multiplataforma. Com isso, o Esporte deixa de se organizar como uma vertical de negócio. A criação e produção de conteúdo esportivo será parte da área integrada de Criação & Produção de Conteúdo e as demais funções estarão distribuídas nas outras áreas da empresa. Os ganhos alcançados com a integração do Esporte, em 2016, foram fundamentais para darmos esse passo hoje. Sob a liderança de Roberto Marinho Neto, fizemos história na cobertura das Olimpíadas e da Copa do Mundo, mas também na gestão integrada de direitos e no conhecimento do torcedor brasileiro, comprovando o potencial de atuarmos juntos”, disse, no comunicado, o presidente executivo da Globo.

“Temos uma posição única no mundo. Temos na Globo os melhores talentos e agora, integrados, mais de 100 milhões de brasileiros passando por nossas telas todos os dias. Nos preparamos para nos relacionar diretamente com eles, através de inteligência e do conhecimento profundo que o enorme engajamento e a relevância dos nossos conteúdos nos proporciona. Para maximizar o valor dos nossos negócios como um todo, vamos ganhar mais eficiência com estruturas integradas, manter a qualidade dos nossos conteúdos, agregar tecnologia que nos permita experiências diversificadas de consumo e incorporar análises de dados do consumidor para alimentar a criação de conteúdos, a sua oferta direcionada, a melhoria dos serviços e a publicidade. Seremos em pouco tempo uma mediatech, com soluções mais flexíveis e ofertas muito variadas para as pessoas consumirem nosso conteúdo exclusivo por via digital ou da forma que elas quiserem. Essa Globo, que nasce em janeiro, é uma empresa única, com dois corações, um no conteúdo diferenciado e o outro na tecnologia e nas oportunidades que ela traz”, observou Nóbrega, no comunicado.

Publicidade

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]