Feira de Santana: Espetáculo ‘Lucas da Feira: o sujeito antes do mito’ é encenado no Teatro do Cuca

Cartaz anuncia espetáculo 'Lucas da Feira: o sujeito antes do mito'.
Cartaz anuncia espetáculo 'Lucas da Feira: o sujeito antes do mito'.
Cartaz anuncia espetáculo 'Lucas da Feira: o sujeito antes do mito'.
Cartaz anuncia espetáculo ‘Lucas da Feira: o sujeito antes do mito’.

No mês em que Feira de Santana completa 186 anos, nada melhor para comemorar seu aniversário do que resgatar histórias de suas raízes. Para isso, o Grupo Recorte de Teatro estreia, nos dias 27 e 28 de setembro de 2019, o espetáculo Lucas da Feira: o sujeito antes do mito.

O enredo se baseia na história de uma figura mitológica de Feira de Santana na primeira metade do século XIX, retratando uma cidade colonial e ainda pertencente a Cachoeira. Lucas da Feira, nascido Lucas Evangelista, foi um sujeito que ganhou tanta fama a ponto de chamar atenção da Bahia, do Brasil e ser considerado, por muitos, dono das matas de Feira, Cachoeira e São Gonçalo. O Grupo Recorte de Teatro, formado por atores profissionais de Feira de Santana e indicado ao prêmio Braskem 2019, completa 5 anos e é o responsável por essa montagem. A direção é de Fernando Souza, que também assina o texto.

“Sou historiador de formação e também, dramaturgo. Sempre tive vontade de contar a história de Lucas da Feira e o teatro me dá essa oportunidade. Acho que por trás do sujeito, existe muito mais do que a dicotomia do Lucas Herói ou Bandido”. O diretor evidencia que a característica do Grupo Recorte é sempre propor a reflexão e não levantar bandeiras. O grupo que se destacou por trazer em seus trabalhos realismo, pesquisa, humor e crítica social, pretende continuar o trabalho no mesmo viés.

Para a atriz Ana Luiza Pinheiro, que interpreta Branca, uma das narradoras da história, “Fazer Lucas da feira é denunciar, falar do que ainda hoje se vê e se sente. É trazer de volta à vida, no palco, a história dessa personalidade feirense. Sentir através da arte essa realidade sofrida, não só dele mas sobre muitas negras e negros que a história não dizia, sobre todos e, principalmente todas, que não tinham voz. E lembrar que essa história também é nossa, porque Feira também é nossa. Porque nós todos somos Lucas da Feira.” Com 15 atores em ação, os bastidores se transforma em um frenesi, tendo eles que se desdobrar em 32 personagens que compõem figuras típicas e personalidades reais presentes na peça. A geografia feirense da época também é retrada, o que pode levar o público a identificar ruas, estradas e locais marcantes da cidade, que é um grande diferencial no espetáculo.

O espetáculo é forte, vivo e necessário para desvendar ou entender como um escravo fugido conseguiu tamanha importância. “Quando criança, em Pé de Serra, sertão baiano, no início da década de 1990, ouvia meu tio se referir a Feira como terra de Lucas”, conta o diretor. A atriz Júlia Lorrana completa que “o espetáculo é bastante importante porque além de falar dessa figura que marcou a história da nossa cidade, mostra as circunstâncias em que os negros escravizados viviam e as consequências disso, inclusive até os dias atuais. Escravidão, patriarcado, racismo, embora pareçam assuntos antigos, os quais, para alguns, deveriam ser retratados apenas em livros de histórias, são extremamente atuais, pois temos reflexos dolorosos deles”.

A estreia do espetáculo em 2019, não à toa, marca os 170 anos da morte de Lucas. Isto torna ainda mais interessante assistir a montagem, que mistura humor e reflexão, e é em si, um presente para Feira de Santana e sua história.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 106694 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]