Vereador faz intermédio entre Poder Executivo e camelôs de Feira de Santana

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Marcos Lima: vamos ver a possibilidade de dialogar com o prefeito, no sentido de tentar talvez carência de pagamento ou redução de valores.
Marcos Lima: vamos ver a possibilidade de dialogar com o prefeito, no sentido de tentar talvez carência de pagamento ou redução de valores.
Marcos Lima: vamos ver a possibilidade de dialogar com o prefeito, no sentido de tentar talvez carência de pagamento ou redução de valores.
Marcos Lima: vamos ver a possibilidade de dialogar com o prefeito, no sentido de tentar talvez carência de pagamento ou redução de valores.

No uso da tribuna, na sessão ordinária desta segunda-feira (26/08/2019), na Câmara Municipal de Feira de Santana, o vereador e líder do Governo na Câmara, Marcos Lima (Patriota) criticou o discurso do oposicionista Roberto Tourinho (PV) em relação às ações do Governo Municipal diante das reivindicações do Shopping Popular.

“O vereador Tourinho fez o quê por Feira até hoje? Só conversa bonita. Estamos tentando resolver a situação, marcando audiência pública para tratar da situação dos camelôs, convocando secretário, empresário, Ministério Público, procurador e mais. Contudo, ele sobe aqui na tribuna para fazer política e discurso bonito”, pontuou Marcos Lima.

E continuou. “Nós estamos em busca de soluções. Vamos ver a possibilidade de dialogar com o prefeito, no sentido de tentar talvez carência de pagamento ou redução de valores. Mas, não venha querer jogar contra esta Casa. Qual o interesse em fazer isso? O Sindicato dos Camelôs recebe valores mensalmente? E quanto os camelôs pagam aos vigilantes por mês? Lá o Sindicato não vai receber e os camelôs não vão pagar vigilantes. Tem muito interesse por traz dos camelôs, essa é a realidade. Não estou dizendo com isso que vocês não devam lutar, mas o caminho é o diálogo e o prefeito abriu espaço para isso”, ressaltou.

Em aparte, o vereador Luiz da Feira (PPL) informou que cada camelô é responsável pelo pagamento de R$ 10 mensal ao sindicato. “Porém, 70% deles não pagam. E aos vigilantes, eles não pagam nada”, disse.

Também em aparte, o edil Cadmiel Pereira (PSC) sugeriu que o vereador Luiz da Feira fosse ao encontro do prefeito e solicitasse o adiamento do sorteio dos boxes dos camelôs e retornasse à Câmara com uma posição do chefe do Executivo. “Nada impede que Luiz da Feira vá em busca do prefeito para adiantar essa conversa. É preciso diálogo. Luiz pode ir, com outros vereadores, e trazer uma resposta ainda hoje, se não for assim acabará amanhã e não teremos resposta. É preciso calma e que o diálogo aconteça, só assim vamos resolver”, observou.

Para finalizar, Marcos disse que passará todas as informações para o Executivo. “Já falei com o prefeito do desejo de vocês conversarem com ele, mas ele não tem agenda para hoje, apenas para amanhã. Sabemos das dificuldades de cada um, mas este é o momento de diálogo. Vocês vão levar as necessidades para o prefeito. Está marcada uma audiência com ele amanhã, às 11 horas, e quero o nome dos cinco camelôs que vão estar com o prefeito”, findou.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 123143 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.