Senador Otto Alencar responde ataques proferidos pelo mentecapto presidente Jair Bolsonaro contra governadores do Nordeste; Escola de políticos criminosos tem no Rio de Janeiro, local de onde vem o débil governante, diz

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Otto Alencar: o atual Governo Bolsonaro, repito, não colocou R$1 para a construção do Aeroporto de Vitória de Conquista.
Otto Alencar: o atual Governo Bolsonaro, repito, não colocou R$1 para a construção do Aeroporto de Vitória de Conquista.

Durante pronunciamento realizado nesta terça-feira (06/08/2019), o senador Otto Alencar (PSD-BA) disse que a construção do aeroporto do município de Vitória da Conquista, na Bahia, inaugurado em julho de 2019, não recebeu nenhum recurso federal do governo do presidente Jair Bolsonaro. Ele esclareceu a polêmica da inauguração, que contou com a presença do chefe do Executivo Federal e a ausência do governador do estado, Rui Costa (PT).

Otto Alencar criticou, também, o mentecapto Jair Bolsonaro por ataques aos governadores do Nordeste e destacou o fato do governante vim de um estado que se qualifica como uma escola do crime e cujo filho está envolvido no esquema da Assembleia Estadual.

— Os recursos federais foram todos transferidos através da Presidente Dilma Rousseff e, por último, pelo Presidente Michel Temer. Ele transferiu a última parcela em novembro do ano passado. O governo atual, o governo Bolsonaro, não colocou R$1 para a construção da obra — disse.

O senador explicou que o projeto para construção do terminal foi feito e executado durante o governo do ex-governador e atual senador, Jaques Wagner, quando foram investidos R$ 30 milhões e mais R$ 70 milhões.

Otto repudiou as palavras ditas por Bolsonaro sobre os governadores nordestinos e lamentou a forma como os estados do Nordeste estão sendo tratados neste governo. O senador se referia a uma declaração do presidente, feita em julho, em que chamou os governadores do nordeste de “paraíba”.

— A nova gestão da Caixa, nesses seis, sete meses destinou para o Nordeste 2,2% de todos os empréstimos. É isso aqui, esse é o retrato da discriminação com o Nordeste. O Nordeste derrotou o presidente da República, tem o direito livre e soberano de votar, mas não guardamos ressentimento, não guardamos ódio — concluiu.

Sobre a debilidade mental de Jair Bolsonaro 

— Por quê? Não passa o ódio da derrota que teve nas urnas? Vai continuar no fanatismo, na obsessão para perseguir, nesse processo crônico de frases feitas, inclusive com impropérios, que já foram ditos na campanha e são repetidos agora no Palácio do Planalto? É esse Presidente da República que vai resolver a vida do povo brasileiro? É esse Presidente da República que vai promover a união nacional, a harmonização da vida política do Brasil? Com esse comportamento, absolutamente não. —  Disse Otto Alencar.

Sobre o possível envolvimento em crimes praticados pelo filho de Jair Bolsonaro

— Eu não venho aqui para críticas de ordem pessoal à figura do Presidente. Por mais que a imprensa fale que aconteceu isso ou aquilo, que houve problemas na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro com o seu filho Flávio Bolsonaro, não vou entrar no mérito. —  Afirmou Otto Alencar, deixando claro conhecer os possíveis envolvimentos em atos criminosos do filho do presidente.

Otto Alencar atuou como 48º Governador da Bahia, no período de 5 de abril de 2002 a  31 dezembro de 2002.

Confira vídeo

Sobre Carlos Augusto 9652 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).