Inimigo da Educação, presidente Jair Bolsonaro corta verba para livros didáticos

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Inimigo da Educação, Bolsonaro corta verba para livros didáticos.
Inimigo da Educação, Bolsonaro corta verba para livros didáticos.
Inimigo da Educação, Bolsonaro corta verba para livros didáticos.
Inimigo da Educação, Bolsonaro corta verba para livros didáticos.

A Educação já perdeu R$ 6,2 bilhões nos sete primeiros meses do governo de Jair Bolsonaro (PSL). O corte mais recente, anunciado no final de julho, foi de R$ 348,4 milhões e vai atingir diretamente a distribuição de livros e materiais didáticos, segundo apurou o Estado de S. Paulo em matéria publicada nesta quarta-feira (07/08/2019).

Com base em dados do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi) analisados pela Organização Não Governamental Contas Abertas, a reportagem mostra que o corte atinge a produção e a aquisição de livros didáticos. Também são alvos dos cortes os acervos de bibliotecas, jogos educacionais, programas de computação e materiais sobre gestão escolar.

Em abril, o governo Bolsonaro já havia cortado R$ 5,8 bilhões do Ministério da Educação. A medida levou milhões de brasileiros as ruas nos dias 15 e 30 de maio nas manifestações em defesa da educação pública e de qualidade para todos. Além disso, um novo ato está sendo convocado para o dia 13 de agosto contra os retrocessos desse desgoverno na educação e também contra a reforma da Previdência.

Somados os dois cortes, a educação já perdeu R$ 6,2 bilhões e foi a pasta mais afetada pelos bloqueios orçamentários de uma gestão incapaz de fazer o Brasil voltar a crescer. Os prejuízos são tantos que reitores de Universidades Federais já anunciaram que temem não conseguir dar continuidade as aulas se a os recursos não forem desbloqueados. A Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) chegou a ter a energia elétrica cortada em julho.

“É grave e um escândalo que o governo amplie os cortes na educação, no esforço de desmantelar as universidades e instituições federais”, criticou o senador Jean Paul Prates (PT-RN).

Jean Paul Prates lembrou que a situação da educação brasileira já era grave por causa da Emenda Constitucional 95, aprovada pelo governo Temer, que estabeleceu um corte criminoso nos gastos públicos, congelando por 20 anos o desembolso do governo federal em áreas sociais.

Paralelo aos bloqueios orçamentários, o governo lançou um programa que entrega o patrimônio e produção científica das universidades a iniciativa privada. O chamado “Future-se” tem sido criticado por reitores, ex-ministros e diversos especialistas em educação. A ação é vista como uma ameaça a autonomia das instituições.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113734 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]