Cultura do algodão se fortalece na região oeste da Bahia

Produtores de algodão do oeste da Bahia amplia a produção com apoio do Governo da Bahia.
Produtores de algodão do oeste da Bahia amplia a produção com apoio do Governo da Bahia.
Produtores de algodão do oeste da Bahia amplia a produção com apoio do Governo da Bahia.
Produtores de algodão do oeste da Bahia amplia a produção com apoio do Governo da Bahia.

Como segundo produtor brasileiro de algodão, a Bahia intensifica ações para proteger a cadeia produtiva que injeta na economia R$ 4,5 bilhões anuais. No calendário de atividades, estão os encontros regulares dos integrantes da Comissão Técnica Regional do Oeste, um dos principais pólos produtores da fibra. O diretor-geral da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), Maurício Bacelar, explica que a reunião extraordinária realizada essa semana em Barreiras, ocorreu para deliberações fundamentais à expansão do agronegócio do algodão que este ano conta com previsão de colheita recorde.

Foram avaliados os resultados alcançados em função do Proalba (Programa de Incentivo à Cultura do Algodão da Bahia), criado em 2001 pela Lei 7.932 para melhorar a qualidade, aumentar a produtividade e a inovação tecnológica da cultura algodoeira. No oeste da Bahia, a produtividade em 2019 deve ficar em torno de 305 arrobas por hectare e o algodão produzido na região é considerado o melhor do Brasil na qualidade da fibra. ”Ao analisarmos os dados, identificamos que os objetivos foram plenamente atendidos ao longo desses 18 anos de vigência do Programa, mas com o tempo a lei foi perdendo seu caráter educativo e preventivo. Na reunião, foram discutidas propostas de adequação a serem submetidas à apreciação do governador, mantendo o incremento e reintroduzindo o caráter preventivo e educativo”, enfatiza Maurício.

Participaram do encontro, representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba) e Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa). Também foram discutidos os pontos relativos aos períodos para plantio e de vazio sanitário, que serão tema de uma portaria a ser publicada pela Adab, na qual serão estipulados prazos para cada etapa.

O diretor-geral da Adab foi convidado a conhecer as instalações da Aiba e as ações desenvolvidas para melhorar o resultado dos associados. No oeste, foi discutida a importância da renovação do convênio da Operação Safra. “Entre outros benefícios, a operação proporciona a contratação de policiamento reforçado no período da safra, garantindo maior segurança ao agronegócio. Vamos continuar atuando juntos”, reforça o diretor-geral da Adab.

Sobre Carlos Augusto 9706 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).