Barragens Cova da Mandioca e Estreito, situadas em Minas Gerais e Bahia, terão planos de controle ambiental e de recuperação de áreas degradadas

Vista aérea da Barragem Cova da Mandioca, em Minas Gerais.
Vista aérea da Barragem Cova da Mandioca, em Minas Gerais.
Vista aérea da Barragem Cova da Mandioca, em Minas Gerais.
Vista aérea da Barragem Cova da Mandioca, em Minas Gerais.

Mais de R$ 1,6 milhão está sendo investido pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) na elaboração do Plano de Controle Ambiental (PCA) e do Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD) para as barragens Cova da Mandioca e Estreito, localizadas nos estados de Minas Gerais e da Bahia.

De acordo com o engenheiro agrícola da Codevasf e fiscal do contrato, Círio José Costa, o Plano de Controle Ambiental é um documento de natureza técnica, para avaliação de impacto ambiental, que tem por objetivo identificar e propor medidas mitigadoras aos impactos gerados pelo empreendimento. Já o Plano de Recuperação de Áreas Degradadas é um documento que norteia a execução e o acompanhamento ou monitoramento da recuperação ambiental de uma área degradada.

Para a elaboração do PCA e do PRAD, são contempladas as etapas referentes a caracterização do empreendimento; definição de suas áreas de influência; diagnóstico dos meios físico, biótico (fauna e flora da região) e socioeconômico; identificação e avaliação dos impactos ambientais, análise integrada de vulnerabilidade ambiental, além do próprio programa de recuperação de áreas degradadas.

Atualmente, estão sendo realizadas as etapas referentes ao diagnóstico ambiental, e o próximo passo será a identificação e a avaliação dos impactos ambientais. A conclusão dos serviços, que estão sendo executados por uma empresa contratada pela Codevasf por meio de licitação, está prevista para março de 2020.

“A elaboração dos planos visa a cumprir a legislação ambiental vigente e atender às exigências do Ibama, órgão ambiental licenciador, necessárias para a regularização ambiental desse sistema de barragens”, conclui o engenheiro agrícola Círio José Costa.

A Codevasf, por meio da Gerência de Meio Ambiente, coordena e executa programas e projetos relacionados aos processos de regularização ambiental dos empreendimentos da Empresa ao longo das bacias hidrográficas de sua área de atuação, contribuindo para o desenvolvimento regional e a conservação dos recursos naturais.

Sistema de barragens

As barragens Estreito, construída pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), e Cova da Mandioca, construída pela Codevasf, são interligadas por um canal. Esse sistema é a fonte hídrica do projeto de irrigação Estreito, localizado nos municípios de Urandi e Sebastião Laranjeiras (BA), no médio São Francisco Baiano. O projeto possui quatro etapas, somando uma área de 7.973 hectares, em que há predominância da exploração de banana, maracujá, manga, feijão e mandioca.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 110965 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]