“A Bahia virou um Velho Oeste, uma terra sem lei”, diz deputado Elmar Nascimento; Parlamentar apoia Desgoverno Bolsonaro e a política da violência

Deputado Elmar Nascimento (DEM-BA), parlamentar de direita que apoia o Desgoverno Bolsonaro e a política da violência.Deputado Elmar Nascimento (DEM-BA), parlamentar de direita que apoia o Desgoverno Bolsonaro e a política da violência.
Deputado Elmar Nascimento (DEM-BA), parlamentar de direita que apoia o Desgoverno Bolsonaro e a política da violência.

Deputado Elmar Nascimento (DEM-BA), parlamentar de direita que apoia o Desgoverno Bolsonaro e a política da violência.

O deputado federal Elmar Nascimento (DEM) lamentou a situação em que aparece o estado da Bahia no Atlas da Violência divulgado neste final de semana pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). “A Bahia é o estado que possui mais municípios entre os 20 mais violentos do Brasil: Simões Filho, Porto Seguro, Lauro de Freitas, Camaçari e Eunápolis”, lamenta o deputado. “E o Oeste da Bahia, que antes era um lugar pacato, hoje foi transformado num Velho Oeste, uma terra sem lei, onde os bandidos trocam tiros à luz do dia”, diz Nascimento.

Segundo o estudo divulgado, várias pequenas facções criminosas disputam o varejo de drogas nos territórios baianos e, em particular na capital: Bonde dos Malucos (BDM), Comando da Paz (CP), Katiara e Caveira. As duas maiores facções do país, o Primeiro Comando da Capital (PCC) e o Comando Vermelho (CV) também estão presentes no território baiano e procuram se associar com as quadrilhas locais a partir do fornecimento de armas e drogas.

“É muito triste constatar que não existe reação alguma por parte do governador Rui Costa para conter a expansão da violência e do tráfico em nosso estado”, constata o deputado.

“Na avaliação do IPEA, o estado da Bahia alimenta o ciclo da violência ao optar pelo uso de suas forças policiais, em lugar de utilizar a inteligência e investigação, o que tem ajudado a alimentar o ciclo de violência”, explica Nascimento, lembrando que inexistem na Bahia  os três pilares que o IPEA considera fundamentais para conter a violência: falta planejamento de ações interssetoriais, voltadas para a prevenção social e para o desenvolvimento infanto-juvenil, em famílias de situação de vulnerabilidade; falta a qualificação do trabalho policial, com mais inteligência e investigação efetiva. E, por fim, falta na Bahia o reordenamento da política criminal e o saneamento do sistema de execução penal, de modo a garantir o controle dos cárceres pelo Estado.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]