Vereador Carlos Bolsonaro critica ministro Augusto Heleno; Político segue constrangendo, agredindo e acusando

Vereador Carlos Bolsonaro segue constrangendo, agredindo e acusando. A mais recente vítima da ira dos Bolsonaro é o general Augusto Heleno, ministro de confiança da família.

Vereador Carlos Bolsonaro segue constrangendo, agredindo e acusando. A mais recente vítima da ira dos Bolsonaro é o general Augusto Heleno, ministro de confiança da família.

O vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ) criou novo conflito com a ala militar do governo ao questionar a atuação do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência. Em uma rede social, o parlamentar respondeu a uma publicação sobre a prisão de um militar da Aeronáutica com 39 kg de cocaína na Espanha, na semana passada – o homem integrava a comitiva de apoio presidencial que viajava para o G20.

“Por que acha que não ando com seguranças? Principalmente oferecidos pelo GSI?”, questionou Carlos. Ele afirmou que a grande maioria dos integrantes do Gabinete de Segurança até pode ser bem intencionada, mas que eles “estão subordinados a algo que não acredita”. O GSI é comandado por um dos principais aliados de Bolsonaro, o ministro Augusto Heleno.

‘Pau-mandado, idiota inútil’, diz General Luiz Eduardo Rocha Paiva em relação a Carlos Bolsonaro

O general Luiz Eduardo Rocha Paiva, integrante da Comissão de Anistia do Governo Bolsonaro, publicou mensagem no WhatsApp em que qualifica o vereador Carlos Bolsonaro de “pau-mandado do Olavo”, referindo-se ao astrólogo Olavo de Carvalho.

“Pau-mandado de Olavo. Se o pai chama os estudantes vermelhinhos de idiotas úteis, e eu concordo, para mim, o filhinho dele é um ‘idiota inútil’, ou útil para os esquerdistas”, dizia a mensagem, acrescida de uma assinatura do general e um “Pode repassar”.

Nos comentários, Carlos Bolsonaro escreveu:

— Por que acha que não ando com seguranças? Principalmente aqueles oferecidos pelo GSI? Sua grande maioria pode ser até homens bem-intencionados e acredito que seja, mas estão subordinados a algo que não acredito. Tenho gritado em vão há meses internamente e infelizmente sou ignorado.

E depois, naquela lógica e naquela construção frasal toda dele, continuou:

— Não digo que sou dono da razão e evitei até aqui me expor desse jeito, mas não está dando mais. Estou sozinho nessa, podendo a partir de agora ser alvo mais fácil tanto pelos de fora tanto por outros. Há muito mais nisso tudo! Mas se viemos aqui para deixar uma mensagem! Creio que essa faz uma parte dela, mesmo que isso custe minha vida! Um abraço!.

Presidente Jair Bolsonaro tem “apreço especial” pelo ministro Augusto Heleno, diz porta-voz

O presidente Jair Bolsonaro tem um “apreço especial” pelo general Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional, tendo-o como um “sênior” entre os titulares do primeiro escalão do governo com o qual dialoga e troca ideias, disse o porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, em briefing no Palácio do Planalto nesta terça-feira à noite.

Segundo o porta-voz, o presidente não fez comentários a respeito de declarações feitas pelo filho dele, o vereador fluminense Carlos Bolsonaro (PSC), em redes sociais.

Na véspera, no Twitter, Carlos disse que não andava com seguranças do GSI porque, embora acredite que a grande maioria deles sejam homens de bem, estão subordinados “a algo que eu não acredito”.

“O presidente, não apenas neste caso específico, por tratar-se do seu filho, o vereador Carlos, mas em outros eventos, ele não comenta posições pessoais em quaisquer que sejam as mídias sociais”, disse o porta-voz, que acrescentou que Bolsonaro manifesta apoio a Heleno diariamente.

“(O presidente) tem um apreço especial pelo general, o tem como dos ministros sênior, com quem ele dialoga e troca ideias. Isso, claramente, deixa ao general Heleno a sensação e a certeza da confiança do presidente no trabalho que ele desenvolve”, completou.

Não é a primeira vez que Carlos Bolsonaro critica um integrante do primeiro escalão do governo. Queixas dele ajudaram na queda de Gustavo Bebianno —ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência— e do general Carlos Alberto Santos Cruz —ex-titular da Secretaria de Governo.

Apesar das declarações do porta-voz, o presidente não deu declarações públicas de apoio a Heleno após o comentário de Carlos Bolsonaro no Twitter.

Rêgo Barros disse que todos os 22 ministros do governo têm o reconhecimento, o apreço e a confiança do presidente.

*Com informações da Revista Época, e de Ricardo Brito, da Agência Reuters.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).