Teatro filme Escorpião entra em cartaz na Sala do Coro do Teatro Castro Alves, em Salvador

Cena do espetáculo filme 'Escorpião'.
Cena do espetáculo filme 'Escorpião'.
Cena do espetáculo filme 'Escorpião'.
Cena do espetáculo filme ‘Escorpião’.

Sucesso na primeira temporada, assistido por mais de 600 espectadores, o teatro-filme Escorpião fica em cartaz do dia 26 de julho até 18 de agosto de 2019, de quinta-feira a domingo, às 20 horas, na Sala do Coro do Teatro Castro Alves (TCA), em Salvador. O espetáculo, baseado no texto do autor paulista Felipe Greco, é mais uma montagem da ATeliê voadOR.

O enredo da peça é uma farsa de sujeitos que estabelecem entre si um jogo de ocultação/revelação do desejo, envolvendo tensões/tesões de Boris e Edu, personagens centrais da história. Escorpião é uma espécie de ficção etnográfica outsider, cruel e perversa, marcada por masculinidades precárias.

Boris (Duda Woyda) é um ex-presidiário que mantém relações sexuais com mulheres, homens e travestis por algum retorno financeiro. O envolvimento em um crime o aproxima de Edu (Gleison Richelle). O encadeamento das ações irá revelar quem é quem nessa história de suspense.

A encenação de Escorpião é claustrofóbica e expõe as personagens num espaço paradoxal carregado de surpresas, mistérios, revelações e peripécias. O espetáculo-filme revela personagens complexos que transitam incógnitos pelo submundo a vivenciar desejos encobertos e enfrentar dramas pessoais. Fetichismo, homofobia, masculinidade precária e machismo tóxico são alguns dos temas abordados pela peça.

“Escorpião é uma experiência visual com formato cinematográfico que ultrapassa o audiovisual apenas como elemento de composição cênica, o espetáculo estende o termo ‘aqui e agora’ do teatro convencional, para algo parecido com ‘aqui/agora/antes/depois’ desse teatro estendido. Além disso, após a peça, através de um QR Code, o público tem acesso a outros elementos da história não revelados no teatro, ou seja, quando o espetáculo encerra no teatro, continua fora, na tela do celular. Os personagens acompanham o espectador em forma de pixels”, antecipa o diretor, Marcus Lobo.

Encontro

Uma experiência cênica visual e sonora. Escorpião é uma obra que só foi possível graças ao encontro da ATeliê voadOR com o Coletivo SALVA! – Coletivo soteropolitano de audiovisual – e o COATO Coletivo – responsável pela preparação corporal dos atores. Os interesses em linguagem teatral e audiovisual cruzam os 3 agrupamentos e desse cruzamento surge uma proposta de “corpos performando em pixels”.

O foco de pesquisa da ATeliê voadOR coloca o corpo do ator no destaque da cena, os outros dois coletivos apresentam em seus trabalhos corpos interagindo com outros corpos através de telas projetáveis. “Para esse trabalho fazemos da encenação uma grande tela de Touch Screens, em que o público assistirá o suspense que envolve Boris, Vera e Edu”, revela Lobo.

O Coletivo SALVA! E o COATO Coletivo reúnem nomes como Douglas Oliveira (Roteiro e Direção do filme), Giovane Rufino (Direção de Fotografia e captação de imagens), Danilo Lima (preparação corporal), Cassius Cardoso (tralha sonora original), Luis Santana (figurino e composição visual), Allison de Sá (iluminação cênica), Clarissa Oliveira (direção de Arte), Aianne Bilitário (cenografia), que produziram uma peça de teatro e um filme que, em dado momento, se unem.

Marginalizados

Inspirado na “Boca do Lixo”, região central paulista, Felipe Grego não esconde as particularidades da noite marginal e excitante da capital comercial do Brasil. Corpos transgressores, corpos conectados, corpos políticos e presentes. Ele revela as figuras que andam pela noite e que performam uma vida que vai de encontro aos padrões normativos.

“Às vezes, para conseguir o que queremos, é preciso esconder um pouco o jogo”. É dessa forma que as projeções de perfis se apresentam. Corpos socialmente normatizados, mas que acabam contradizendo os “princípios éticos e sociais” e performam outras facetas das suas múltiplas imagens.

Agenda

O quê: Escorpião espetáculo de teatro-filme

Quando: 26 de julho a 18 de agosto – de quinta a  domingo, 20h

Onde: Sala do Coro do Teatro Castro Alves

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108179 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]