Senador Angelo Coronel defende combate à corrupção, mas alerta para economia

Para o senador Angelo Coronel, as iniciativas contra a corrupção foram boas, mas país precisa fazer reformas estruturantes para revitalizar a economia e dar emprego à população.
Para o senador Angelo Coronel, as iniciativas contra a corrupção foram boas, mas país precisa fazer reformas estruturantes para revitalizar a economia e dar emprego à população.
Para o senador Angelo Coronel, as iniciativas contra a corrupção foram boas, mas país precisa fazer reformas estruturantes para revitalizar a economia e dar emprego à população.
Para o senador Angelo Coronel, as iniciativas contra a corrupção foram boas, mas país precisa fazer reformas estruturantes para revitalizar a economia e dar emprego à população.

Ao fazer um balanço dos primeiros cinco meses de mandato como senador da República, Angelo Coronel (PSD-BA) defendeu, nesta quinta-feira (04/07/2019), o combate à corrupção, mas alertou para a necessidade de priorizar também outras pautas, como iniciativas para a recuperação econômica do país. Para ele, as operações de enfrentamento à corrupção não podem atrapalhar o crescimento da indústria e a geração de emprego. Ele pediu que o Congresso e o Executivo priorizem as propostas de reformas estruturantes, como a tributária.

— Devemos sair para fazer essas reformas importantes. A prisão foi boa. Combateu-se a corrupção, mas o Brasil precisa acordar, precisa fazer com que essas pautas acordem e venham logo para esta Casa para serem discutidas e aprovadas — disse.

Lava Jato

Ele citou requerimentos de sua autoria para convocação do ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro, e o procurador, Deltan Dallagnol para esclarecer os possíveis diálogos sobre a condução da operação Lava Jato divulgados pelo site The Intercept Brasil. Ele disse não ser contrário à operação, mas discorda de que o país “endeuse” apenas algumas figuras, quando, na sua avaliação, muitos outros atores merecem reconhecimento. Angelo Coronel destacou a atuação das polícias federal, civil e militar, bem como a atuação dos procuradores e promotores de justiça.

Confira vídeo

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9371 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).