Procurador do Rio de Janeiro é preso no âmbito da força-tarefa do Caso Lava Jato

Procurador do Rio de Janeiro Renan Saad foi preso e será levado para complexo Gericinó, em Bangu, no Rio de Janeiro.
Procurador do Rio de Janeiro Renan Saad foi preso e será levado para complexo Gericinó, em Bangu, no Rio de Janeiro.
Procurador do Rio de Janeiro Renan Saad foi preso e será levado para complexo Gericinó, em Bangu, no Rio de Janeiro.
Procurador do Rio de Janeiro Renan Saad foi preso e será levado para complexo Gericinó, em Bangu, no Rio de Janeiro.

O procurador do Rio de Janeiro Renan Saad foi preso na manhã desta segunda-feira (01/07/2019), na residência, em São Conrado, na zona sul, e levado para a sede da Polícia Federal. A prisão foi feita no âmbito do operação Lava Jato no Rio. Saad é suspeito de receber R$ 1,2 milhão em pagamentos de propina da Odebrecht para alterar o traçado das linhas de metrô do Rio, beneficiando o esquema do ex-governador Sérgio Cabral.

A Polícia Federal cumpriu também dois mandados de busca e apreensão na residência de Saad e em seu escritório, no Centro. Depois de prestar depoimento à PF, o procurador será levado para o Complexo de Gericinó, em Bangu, onde estão os presos da Lava Jato.

Segundo a investigação, o procurador referendou a alteração de um contrato de construção da linha 4 do metrô sem que houvesse a necessidade de uma nova licitação. A alteração elevou o valor da obra em, pelo menos, 11 vezes. O projeto, orçado originalmente em R$ 880 milhões, em 1998, acabou custando aos cofres públicos R$ 9,6 bilhões. A linha 4, que liga a zona sul à barra, na zona oeste, ficou pronta para os Jogos Olímpicos de 2016.

Originalmente, a linha 4 chegaria à Barra passando por Humaitá, Gávea e São Conrado. As mudanças avalizadas pelo parecer de Saad, no entanto, autorizaram a alteração desse trajeto, passando por Ipanema e Leblon, o que demandou o uso de uma nova metodologia de obra.

Os pagamentos foram operacionalizados por meio do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, que era responsável pelo repasse de propinas. Os repasses a Saad, que era identificado como Gordinho, foram transferidos entre 2010 e 2014.

*Com informações da Agência Brasil.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108860 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]