Ouvidor da Câmara Municipal de Feira de Santana confirma que vereadores recebem o cartão vale refeição dos membros dos gabinetes

Caso ‘O destino do Vale Refeição da Câmara Municipal de Feira de Santana’ levanta suspeita e questionamentos.Caso ‘O destino do Vale Refeição da Câmara Municipal de Feira de Santana’ levanta suspeita e questionamentos.
Caso ‘O destino do Vale Refeição da Câmara Municipal de Feira de Santana’ levanta suspeita e questionamentos.

Caso ‘O destino do Vale Refeição da Câmara Municipal de Feira de Santana’ levanta suspeita e questionamentos.

Humberto Cedraz, ouvidor da Câmara Municipal de Feira de Santana (CMFS), confirmou nesta segunda-feira (15/07/2019) ao Jornal Grande Bahia (JGB) que a administração do Poder Legislativo Municipal entrega aos vereadores os cartões do vale refeição dos servidores comissionados e que estes são distribuídos de acordo com critérios dos edis.

“Não existem cartões do vale refeição para todos os servidores, então, de acordo com o critério de cada vereador, os cartões são distribuídos aos servidores [que ocupam cargo de confiança], de acordo com critério dos próprios vereadores”, disse Humberto Cedraz.

Radialista relata

Na sexta-feira (13/07) o JGB publicou reportagem com título ‘Vereadores de Feira de Santana são suspeitos de apropriação do valor do vale refeição dos servidores comissionados; Montante ultrapassa R$ 3 milhões; Denúncia foi revelada pelo radialista Carlos Lima’.

A reportagem relata que em editorial veiculado nesta sexta-feira (12) na Rádio Povo, o radialista Carlos Lima revelou que existe a suspeita de que vereadores de Feira de Santana estiveram ao longo dos últimos 30 meses se apropriando do valor do vale refeição destinado a servidores em cargos comissionados (cargos de confiança).

Conforme editorial apresentado por Carlos Lima foram destinados para pagamento de vale refeição no valor de R$ 1.463.537,68, em 2018. Ocorre que nem todo o montante é repassado diretamente para todos os servidores, sendo que apenas os que são de carreira, ou que ocupam determinadas funções, os únicos à receber os valores, enquanto os que ocupam cargos de confiança, indicados por vereadores, ficam dependentes do edil, que obtém o repasse da administração da Câmara Municipal de Feira de Santana, cujo presidente é José Carneiro Rocha (PSDB).

Radialista confirma

Ex-assessor da Câmara Municipal de Feira de Santana Carlos Lima confirmou a prática relatada no editorial, declarando durante a veiculação do Jornal da Povo, nunca ter recebido o cartão vale refeição, enquanto ocupou cargo de confiança.

Fonte confirma

Um ex-assessor da Câmara Municipal de Feira de Santana, que trabalhou na atual legislatura, confirmou nesta segunda-feira (15) a prática, quase generalizada, de retenção do vale refeição dos servidores comissionados, por parte dos edis.

“Alguns entregam os vales refeição aos comissionados e estes o devolvem ao vereador, enquanto outros ficam sem entregar os cartões aos servidores. Mas, há os que distribuem os vales refeição”, disse a fonte.

Necessária investigação

O caso levanta inúmeras suspeitas e vários questionamentos, por exemplo: o que leva a direção da Câmara Municipal, cuja presidência é exercida pelo vereador José Carneiro Rocha (PSDB), a entregar os vales refeição aos edis e não diretamente aos servidores?

A sociedade esperar respostas da CMFS e uma devida apuração do Ministério Público da Bahia e do Tribunal de Contas do Município.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).