O maior comunista de todos os tempos | Por Alberto Peixoto

Jesus Cristo (Jesus de Nazaré) transmitiu mensagens de igualdade e fraternidade entre as pessoas.Jesus Cristo (Jesus de Nazaré) transmitiu mensagens de igualdade e fraternidade entre as pessoas.

Jesus Cristo (Jesus de Nazaré) transmitiu mensagens de igualdade e fraternidade entre as pessoas.

Jesus Cristo (Jesus de Nazaré) transmitiu mensagens de igualdade e fraternidade entre as pessoas.

“Amai ao próximo um amor fraterno e verdadeiro. Dai de comer a quem tem fome e dai de beber a quem tem sede e abrigo a quem tem frio” – Jesus Cristo – Mateus 25:35.

Estas palavras transpiram a essência da filosofia socialista da esquerda brasileira. Amai uns aos outros. Quem ama ao próximo por hipótese alguma faz uma Reforma da Previdência tão desumana como a que está sendo feita pelos “fariseus” que administram o Brasil.

Todo bom católico é um grande socialista. Jesus Cristo, como homem, foi o maior socialista que já pisou neste planeta! Amar ao próximo é a definição básica de uma sociedade organizada. Sem este princípio não poderíamos ser considerados civilizados, principalmente cometendo todas as aberrações que nos são peculiares.

Atualmente é de praxe ouvir religiosos defendendo a lei do armamento proposta pelo “chefe” Bolsonaro. Aqueles que defendem a violência, de maneira nenhuma pode se dizer seguidor do Nazareno. São seguidores de um deus vingativo, punitivo e disseminador da violência. Quem agride um agressor se torna tão agressor quanto ele. Quem mata um assassino se torna tão assassino quanto ele.

Jesus Cristo sempre pregou o principio da justiça, da solidariedade, da igualdade social e econômica – a divisão de 5 pães e 2 peixes de forma igual e distribuído entre as pessoas que ouviam seus ensinamentos – das relações de respeito entre as pessoas independente de qualquer outra coisa.

Partindo do principio da igualdade e solidariedade, o que vemos no atual quadro social criado por estes basbaques que desgovernam o país é totalmente o contrário. O pobre e o negro não têm mais direito a frequentar escolas, – escola para todos, ciência sem fronteiras, etc – não tem direito a saúde, a divisão equitativa dos alimentos – bolsa família – foi para o espaço e voltou o desemprego em alta escala.

O nosso Irmão Maior sempre esteve disposto a enfrentar o descaso com o ser humano, o poder autoritário de um sistema opressor – o mesmo sistema ditatorial que enfrentamos atualmente – vulgarizado por líderes políticos e religiosos; a exploração do homem pelo homem e a falsa propagação da ideia de meritocracia em uma sociedade desigual.

Não se respeitam as escolhas, as diferenças. O Mestre foi um defensor incontestável das diferenças, dos excluídos, das vítimas do preconceito. Por outro lado, os religiosos em seus cultos dominicais dizem promover o amor, mas na realidade promovem o ódio, a exclusão, a violência e apoiam a tortura pregada pelos que integram a famiglia Bolsonaro. São adoradores do Coronel Ustra.

Homossexuais e prostitutas devem ser castigadas? E os homens adúlteros? Também não deveriam ser castigados? Jesus Cristo não discriminava nem gays nem prostitutas.

A maioria das pessoas não conhece o significado da palavra comunismo. Pois bem: Comunismo (do latim communis – comum, universal) é uma ideologia política e socioeconômica que pretende promover o estabelecimento de uma sociedade igualitária, sem classes sociais e apátrida, baseada na propriedade comum dos meios de produção.

“O mundo precisa, antes de tudo, conhecer o jovem de Nazaré, que era humano como todos nós, inconformado com a injustiça e a desigualdade, que denunciava os poderosos e que não se envergonhava de manter amizades com pessoas rejeitadas pela sociedade. O comportamento de Jesus seria, não tenho dúvida, execrado pelas igrejas de hoje” – Jefferson Ramalho, Teólogo e Historiador.

*Alberto Peixoto, escritor

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Alberto Peixoto
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. E-mail para contato: [email protected] Saiba mais sobre o autor visitando o endereço eletrônico http://www.albertopeixoto.com.br.