Mostra SESC de Cinema anuncia selecionados da edição 2019

Cena do Filme 'Abrindo as janelas do tempo'.Cena do Filme 'Abrindo as janelas do tempo'.


Cena do Filme 'Abrindo as janelas do tempo'.

Cena do Filme ‘Abrindo as janelas do tempo’.

O Sesc divulgou a lista de filmes selecionados para a III Mostra de Cinema 2019. São 42 produções, sendo 10 infanto-juvenil, Os filmes foram avaliados por uma curadoria formada por profissionais do Sesc e especialistas das áreas de cultura e cinema. Com apenas 3 anos de existência, a Mostra Sesc de Cinema se firma como importante iniciativa de valorização da produção audiovisual do país, tendo registrado recorde de inscritos este ano: 1.200 filmes.

“A ideia é incentivar e divulgar, cada vez mais, a produção cinematográfica nacional que não chega ao circuito comercial, contribuindo, assim, para a promoção e o lançamento de artistas de todo o país”, ressalta Marco Aurélio Fialho, analista de Cultura do Departamento Nacional do Sesc.

A seleção dos filmes que chegaram à etapa nacional foi realizada a partir dos panoramas: Estadual e Regional, Brasil e Infanto-Juvenil. Ao todo, foram selecionados 380 filmes entre longas, médias e curta metragens, provenientes de todas as regiões. Desse total, foram selecionados seis filmes de cada região do país, exceto o Nordeste que indicou oito. As obras comporão o panorama nacional, junto com as produções infanto-juvenis, selecionadas a parte. Os demais filmes classificados serão exibidos em suas regiões.

“Com mais essa iniciativa nacional, o Sesc cumpre uma missão importante da sua atuação na área cultural, que é democratizar o acesso ao cinema, além de permitir que artistas e cineastas de todo o Brasil mostrem seus trabalhos ao grande público”, reforça Fialho.

Curtas, médias e longas de todo o Brasil

Entre os selecionados de 2019 estão os longas “Estrangeiro” (PB), escrito e dirigido por Edson Lemos Akatoy, que mostra uma viagem sensorial e poética nas memórias de Elisabete; e “Abrindo as Janelas do Tempo” (SC), que, sob a direção de Santiago José Asef, traduz uma história de amor, de perda, espera e aceitação; “Orin: música para os Orixás” (BA) é um documentário que valoriza as culturas brasileiras de origem africana e demonstra a riqueza de sons, termos e ideias por trás do candomblé; já o documentário “Fabiana” (SP) retrata a trajetória de uma caminhoneira transexual e lésbica,  mostrando detalhes da última viagem antes da aposentadoria, depois de 30 anos de profissão.

Entre os médias-metragens estão “Catadora de Gente” (RS), um tocante depoimento dos preconceitos e da dura trajetória de Maria Tugira Cardoso, uma mulher como tantas outras catadoras no Brasil, e o documentário “O céu dos índios Desâna e Tuiuca” (AM), que tenta desvendar a astronomia indígena produzida por estas etnias amazônicas que acreditam no conhecimento do céu como saber complementar as suas vidas na terra.

Entre os curtas que compõe a mostra estão “Aurora” (SE), um ensaio cinematográfico sobre as angústias que sofre uma mulher em três diferentes fases da vida; “Chamando os Ventos: por uma cartografia dos assobios (PA), documentário sobre a ação imaginária de chamar os ventos por meio de assobios, uma dinâmica que envolve entretenimento, ancestralidade, imaginação, afetividade e memória; e o documentário “Quilombo Mata Cavalo” (MT), que trata da história e da cultura de seis comunidades quilombolas que resistem para preservar seus traços culturais.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]