Jornalista Valber Carvalho prepara lançamento de biografia sobre Irmã Dulce

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Valber Carvalho prepara lançamento de biografia de Irmã Dulce .
Valber Carvalho prepara lançamento de biografia de Irmã Dulce .

Enquanto a Igreja no Brasil já se prepara para a canonização de Irmã Dulce, no dia 13 outubro de 2019, o jornalista e escritor Valber Carvalho anuncia a biografia sobre a vida do “Anjo Azul dos Alagados” para o segundo semestre deste ano. Dias após Maria Rita Souza Britto Lopes Pontes ter deixado de ser apenas Irmã Dulce para se tornar a primeira Santa da Igreja Católica nascida em solo brasileiro, Valber convida a todos para o lançamento do livro.

O jornalista escreveu na quinta-feira (04/07/2019) um artigo para o site da ABI, no qual descreve o árduo percurso de produção da obra, o que motivou a escolha da personagem e revela algumas fontes. “Milhares de documentos escritos foram lidos e catalogados, informações primárias oficiais – de dentro e de fora da Igreja – ou outras publicadas em jornais de todo o país, serviram para embasar as informações valiosíssimas de centenas de relatos orais gravados, muitos deles completamente inéditos”, ressalta no texto “Uma biografia da Santa Irmã Dulce”. Leia aqui.

De Maria Rita a Irmã Dulce

Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes nasceu em 26 de maio de 1914, em Salvador. Segunda filha de do dentista Augusto Lopes Pontes, professor da Faculdade de Odontologia, e de Dulce Maria de Souza Brito Lopes Pontes. Aos 13 anos, Irmã Dulce passou a acolher mendigos e doentes em sua casa, transformando a residência da família – na Rua da Independência, 61, no bairro de Nazaré, num centro de atendimento. Nessa época, ela manifesta o desejo de se dedicar à vida religiosa. Em 13 de agosto de 1933, recebe o hábito de freira das Irmãs Missionárias e adota o nome de Irmã Dulce, em homenagem a sua mãe. Passou a dar assistência a comunidades pobres, abrigar doentes que recolhia nas ruas de Salvador. Em 1959, é instalada oficialmente a Associação Obras Sociais Irmã Dulce.

Irmã Dulce morreu em 13 de março de 1992, aos 77 anos. A causa da Canonização de Irmã Dulce foi iniciada em janeiro de 2000. Foi beatificada pelo Papa Bento XVI, no dia 10 de dezembro de 2010, passando a ser reconhecida com o título de “Bem-aventurada Dulce dos Pobres”. Em maio de 2019, o Vaticano anunciou que Irmã Dulce se tornará santa, com a conclusão do processo de canonização.

*Com informações da  Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113513 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]