CCR diz que Estado de São Paulo refutou acordo com MP Paulo sobre caixa 2

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
O Grupo CCR, antiga Companhia de Concessões Rodoviárias, é uma empresa brasileira de concessão de infraestrutura, transportes e serviços, uma das líderes na administração de rodovias no Brasil, com um total de 3.265 km administrados. A empresa faz parte dos mais importantes índices do mercado acionário brasileiro.
O Grupo CCR, antiga Companhia de Concessões Rodoviárias, é uma empresa brasileira de concessão de infraestrutura, transportes e serviços, uma das líderes na administração de rodovias no Brasil, com um total de 3.265 km administrados. A empresa faz parte dos mais importantes índices do mercado acionário brasileiro.
O Grupo CCR, antiga Companhia de Concessões Rodoviárias, é uma empresa brasileira de concessão de infraestrutura, transportes e serviços, uma das líderes na administração de rodovias no Brasil, com um total de 3.265 km administrados. A empresa faz parte dos mais importantes índices do mercado acionário brasileiro.
O Grupo CCR, antiga Companhia de Concessões Rodoviárias, é uma empresa brasileira de concessão de infraestrutura, transportes e serviços, uma das líderes na administração de rodovias no Brasil, com um total de 3.265 km administrados. A empresa faz parte dos mais importantes índices do mercado acionário brasileiro.

A CCR divulgou na sexta-feira (19/07/2019) que o Estado de São Paulo contestou no começo da semana a homologação do acordo celebrado entre a empresa de concessões de infraestrutura e o Ministério Público do Estado de São Paulo (MP/SP), em caso envolvendo caixa 2.

Em fato relevante, a CCR disse que o governo interpôs recurso, “sustentando a impossibilidade de celebração de acordo em matéria de improbidade e com a finalidade de que toda contraprestação imposta à companhia por força daquele Termo reverta exclusivamente em favor do Estado de São Paulo”.

No final de novembro do ano passado, a CCR firmou acordo com o MP/SP comprometendo-se a pagar 81,5 milhões de reais. O acordo chamado pelos promotores de Termo de Autocomposição veio após a própria CCR ter procurado o MP/SP em julho, depois de Adir Assad, delator na operação Lava Jato, ter dito no começo do ano que operou caixa 2 para a companhia.

A CCR disse que o acordo foi celebrado seguindo os parâmetros estipulados com o Ministério Público do Estado de São Paulo e que continuará contribuindo com as autoridades públicas.

*Com informações da Agência Reuters.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 121857 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.